Adoradores...

Contexto SAGRADAS ESCRITURAS, setembro, 2019


Ephesios 4

Assim que isto digo. e testifico em o SENHOR, que nao andeis mais como as outras gentes andao, em a vaidade de seu sentido:
Entenebrecidos no entendimento, alheios da vida de DEOS pela ignorâmcia que nelles ha, pela dureza de seu coração.
Os quaes havendo perdido o sentido, se entregarão à dissolução, para avaramente commeter toda imundicia.
[Almeida, 1850]

[041872]


... amados adoradores...

junho 16, 2018

Ceia do SENHOR, não é comer pãozinho e beber suco de uva!!


Durante em o Seu ministério terreno, JESUS havia deixado bem claro que o pão era o símbolo do Seu corpo, e o vinho, o símbolo do Seu sangue a ser derramado em favor dos homens para remissão dos pecados, pois quê, sem derramamento de sangue não há remissão de pecados conforme a Lei dos holocaustos e sacrifícios para Israel, sendo evidente que, pela lei ninguém será justificado diante de DEUS, porquanto, “CRISTO nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro [Gálatas 3], e por este madeiro asseverou que não veio destruir a lei que requer sacrifícios e holocaustos para remissão dos pecados com derramamento de sangue, mas: “não vim ab-rogar, mas cumprir [Mateus 5].

Contexto bíblico João 6 [Bíblia Almeida 1850]
  • Porque o pão de DEOS he aquELLE, que do ceo desce, e dá vida ao mundo
  • E JESUS lhes disse: EU SOU o pão da vida; quem vem a MIM, em maneira nenhuma terá fome; e quem crê em MIM, nunca terá sede
  • Eu sou o pão da vida. Vossos pais comerão Manná do deserto, e morrêrão. Este he o pão que desce do ceo, para que o homem dELLE coma, e não morra. EU SOU o pão vivo, que desceo do ceo; se alguem comer deste pão, para sempre ha de viver. E o pão que EU hei de dar, he minha carne
  • JESUS pois lhes disse: Em verdade, em verdade vos digo, que se não comerdes a carne do FILHO do Homem, e não beberdes Seu sangue, não tereis vida em vó mesmos. Quem come Minha carne, e bebe Meu sangue, tem vida eterna, e EU o resuscitarei no ultimo dia. Porque minha carne verdadeiramente he comida e meu sangue verdadeiramente he bebida. Quem come minha carne, e bebe eu sangue, em num permanece, e EU nelle. Como o PAI vivente ME enviou, e EU vivo pelo PAI; assim quem a MIM ME come, tambem por MIM ha de viver. Este he o pão, que desceo do ceo. Não como vossos pais, que comerão Manná, e morrerão: quem comer este pão, para sempre ha de viver
Entendimento pela Sagrada Escritura

Quem come Minha carne, e bebe Meu sangue, tem vida eterna, e EU o resuscitarei no ultimo dia” quer anunciar o receber a Palavra e se alimentar dEla [COMER SUA CARNE], é aceitar e entender o sacrifício da cruz, o perdão dos pecados e a redenção [BEBER O SEU SANGUE], porquanto, é aceitar o sacrifício do corpo e do sangue de CRISTO para ter a vida eterna.

Mas, quando JESUS assim disse, ELE escandalizou os judeus, pois a lei os proibia de comer sangue de animais [Levítico 7]. A vida estava na carne [Levítico 7], o sangue do animal propiciava os pecados do povo de Israel, restaurando-lhe a comunhão com DEUS, a vida eterna.

O PÃO era uma parábola do seu próprio corpo submetido ao propósito redentor de DEUS [Hebreus 10], e, o Seu SANGUE, derramado na morte, relembrava os ritos expiatórios em no Antigo Testamento (Antiga Aliança), o que foi representado no cálice sobre a mesa, este cálice, dali por diante, era revestido de um novo significado, como um memorial de um novo Êxodo realizado em Jerusalém [Lucas 9].

A contextualização da última “Ceia“ do SENHOR e Seus discípulos, deve ser entendida como um memorial [Lucas 22], um momento em que JESUS ansiava muito em estar com eles [Lucas 22] por que era a Festa dos Pães Asmos, a Páscoa judaica (Pessach, onde é celebrado o dia que DEUS libertou Seu povo Israel do Egito, memorial para que os filhos de Israel jamais se esquecessem que foram escravos no Egito), e por este memorial in “Ceia“, CRISTO simbolizava em Seu corpo e Seu sangue, a libertação da remissão dos pecados, assim como Israel liberto da escravidão do Egito, e jamais deve ser entendido como um ritual religioso.

Conclui-se bem claro que, as pessoas são conduzidas ao erro por falta de conhecimento, deixando-se levarem por crendices, sofismas, de argumentos capciosos para enganar, dogmas em tradições e doutrinas de homens nas imposições das lideranças eclesiásticas nas igrejas instituições, criando condições nas quais a Palavra de DEUS não requer aos membros em participar do ritual da Ceia.

Porque dELE e por ELE, e para ELE, são todas as coisas; glória pois, a DEUS eternamente;
Nos interesses da Igreja que CRISTO edificou. Amém.

[039930]

junho 01, 2018


Torna-se necessário e indispensável, enquanto temos tempo e o tempo urge, por isso temos de tomar tempo numa decisão expondo a diferença abismal entre, a Igreja de CRISTO textualizada pela Palavra de DEUS [contida na Bíblia], e as igrejas instituições tão difundidas e defendidas pelos tolos dizimistas e manipuladas a bel prazer pelas lideranças eclesiásticas (a imagem ao lado, nada tem a ver em debater política, mas sim, mostrar quem são as lideranças eclesiásticas religiosas que milhares dos supostos cristãos brasileiros tem seguido, cegos e idolatrando).

Por definição do contexto bíblico, a Igreja [ἐκκλησίας (ekklēsias)] é o grupo de pessoas professas em CRISTO reunidas em Seu nome, aqui e acolá, espalhadas pelo mundo, uma assembleia, a congregação de Hebreus 10.25.

Portanto, não se pode denominar (apelidar) um prédio, entre paredes, de igreja, pois, verdadeiramente a reunião é que é a Igreja e não o lugar supostamente santificado em templo, o local onde religiosos confinam seus seguidores para ludibriar, enganar com crendices, sofismas, dogmas, tradições e doutrinas de homens dissolutos, amantes de si mesmos.

A Igreja de CRISTO é a reunião dos filhos de DEUS que acontece em qualquer lugar, assim, quando CRISTO vier buscar a Sua Igreja, virá buscar a congregação de pessoas e não o lugar onde elas estão reunidas.

A Igreja se reúne em qualquer lugar, como a primitiva que se reunia nas casas, nas cavernas, e até em tumbas (neste ínterim por que era perseguida), e assim o devemos fazer, por que CRISTO está onde se reúnem dois ou três em Seu nome[Mateus 18], e como já dito, não por que o lugar é apelidado de "igreja":
  • Paulo quando quis perseguir os crentes foi nas casas, e "Saulo assolava a Igreja, entrando pelas casas; e, arrastando homens e mulheres, os encerrava na prisão" [Atos 8];
  • Paulo fez diversas saudações às Igrejas nas casas, "As Igrejas da Ásia vos saúdam. Saúdam-vos afetuosamente no Senhor Áquila e Priscila, com a Igreja que está em sua casa" [1Coríntios 16];
  • "Saudai aos irmãos que estão em Laodicéia e a Ninfa e à Igreja que está em sua casa" [Colossenses 4];
  • "Saudai também a Igreja que está em sua casa. Saudai a Epêneto, meu amado, que é as primícias da Acáia em CRISTO" [Romanos 16];
  • "E à nossa amada Áfia, e a Arquipo, nosso camarada, e à Igreja que está em tua casa" [Filemom 1];
  • Pedro quando preso, na casa de Maria a Igreja orava, e, "considerando ele nisto, foi à casa de Maria, mãe de João, que tinha por sobrenome Marcos, onde muitos estavam reunidos e oravam" [Atos 12].
  • Na descida do ESPÍRITO SANTO, Pentecostes, a Igreja estava em uma casa, e "de repente veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados" [Atos 2];
  • Paulo quando vai para Cesaréia, vai para a casa de Filipe, e "no dia seguinte, partindo dali Paulo, e nós que com ele estávamos, chegamos a Cesaréia; e, entrando em casa de Filipe, o evangelista, que era um dos sete, ficamos com ele" [Atos 21];
  • "E todos os dias, no templo e nas casas, não cessavam de ensinar, e de anunciar a JESUS CRISTO" [Atos 5].

Em verdade, pelos textos bíblicos, sem pretextos, as reuniões da Igreja sempre foram na época dos apóstolos, NAS CASAS, e quando eles iam no templo era para anunciar o CRISTO aos judeus, visto que eles não aceitaram o SENHOR, lembrando (aos deturpadores da Palavra) que esse templo é judaico e não cristão, e que os apóstolos ficavam nas escadarias e no pátio dos gentios, nunca no interior do templo;

Ainda que haja muitos templos, estes nada mais são que construções inseridas por Constantino para conglomerar a si a reunião de pessoas, para este fim, a ICAR, copiada pelas filhas bastardas evangélicas, também levianamente, inseriram ao contexto religioso, a imposição da, se e somente se, necessidade obrigatória de apenas encontrar à DEUS no interior destes profanos recintos, locais de comércio e barganha religiosa (os quais são relíquias do passado templo de Jerusalém no qual JESUS "tendo entrado no pátio do templo, expulsou todos os que ali estavam comprando e vendendo; também tombou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos comerciantes de pombas" [Mateus 21], pois quê, é a mesma pratica comercial de hoje nos templos batistas, assembleianos, universais, internacionais, mundiais e todas quantas forem as evangélicas), espíritas):
  • "O DEUS que fez o mundo e tudo que nele há, sendo SENHOR do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens" [Atos 17]
  • "Não sabeis vós que sois o templo de DEUS e que o ESPÍRITO de DEUS habita em vós? Se alguém destruir o templo de DEUS, DEUS o destruirá; porque o templo de DEUS, que sois vós, é santo" [1Coríntios 3];
  • "E que consenso tem o templo de DEUS com os ídolos? Porque vós sois o templo do DEUS vivente, como DEUS disse: neles habitarei, e entre eles andarei; e EU serei o Seu DEUS e eles serão o Meu povo" [2Coríntios 6].

A Igreja é uma Família, da qual, bem ajustada e comprometida com os argumentos divinos, unida, são pessoas contempladas a buscar e adorar a DEUS, em espírito e em verdade, partindo a pão entre si, compartilhando de suas dádivas com os menos favorecidos; estas têm DEUS, DEUS está presente em seus corações.


Porque dELE e por ELE, e para ELE, são todas as coisas; glória pois, a DEUS eternamente;
Nos interesses da Igreja que CRISTO edificou. Amém.

[039820]