Adoradores...

Contexto SAGRADAS ESCRITURAS, 14.abr.2017, Jeremias 18

Então veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo:
Não poderei EU fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? diz o SENHOR. Eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na Minha mão, ó casa de Israel.
[Isaías 64.8; 45.9; Mateus 20.15; Jeremias 18.4; Daniel 4.23]
No momento em que falar contra uma nação, e contra um reino para arrancar, e para derrubar, e para destruir,
[Jeremias 1.10; 12.14-17; 25.9-14; 45.4; Amós 9.8]
se a tal nação, porém, contra a qual falar se converter da sua maldade, também EU ME arrependerei do mal que pensava fazer-lhe.
[Jeremias 26.3,13; Ezequiel 18.21; Juízes 2.18]

[036789]

dezembro 29, 2010

2011... e o Hoje!!

.
O tempo de Deus não condiz com o nosso, mas, é preciso tão somente buscar entendimento pela unção do Espírito Santo [1João 2.27], para não fazer uso inapropriado de nosso tempo em relação a vontade de Deus, porque se necessita de paciência, para que, depois de haver feito a vontade de Deus, possamos alcançar a promessa [Hebreus 10.36; 1João 2.25]; andando com sabedoria para com os que estão de fora [Colossenses 4.5], remindo o tempo; porquanto os dias são maus [Efésios 5.16].

Cumprem-se, em verdade, as profecias dos últimos dias; os amantes de si mesmos lotam os galpões das chamadas “igrejas”; a cada dia, mais e mais são criados e forjados novos redutos religiosos; milhares de presunçosos estão se intitulando com artimanhas eclesiásticas, homens e mulheres soberbos, blasfemos, e de todas as outras características contidas em 2Timóteo 3, os quais são favorecidos ou tornam-se a si mesmos “apóstolos” ou “bispos” ou “qualquer coisa sobre divindades”. Cegos guiando cegos, pois que, adverte em amor o Senhor Jesus: “Acautelai-vos, que ninguém vos engane”!!

Nossa modesta e humilde Comunidade virtual “Adoradores em Casas”, é apenas uma pequena iniciativa de reunir irmãos em Cristo e transmitir a mensagem de salvação do evangelho de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, sem compromisso com estruturas, tradições, dogmas, denominações, porque temos um Sumo Sacerdote, Jesus Cristo, que se compadece dos que O temem [Salmos 103.13];

Somos apenas um pequenino destacamento do Exército do SENHOR, que vive e trabalha para o avanço do Reino de Deus sobre a Terra;

Entretanto, precisamos sempre olhar para cada um de nós, individualmente, para que a transformação contínua e maravilhosa, pela unção divina, se faça a cada dia, a “todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor” [2Coríntios 3.18].

A cada ano, consideramos os desafios que estamos próximos a enfrentar como nos tem falado o SENHOR, ante uma colheita tão grande como temos sido anunciados, ouvimos a voz, como trombetas, dizendo a que roguemos, “pois, ao Senhor da seara, que mande ceifeiros para a Sua seara” [Mateus 9.38];

Ceifeiros são aqueles que dedicam sua vida e tempo, recursos e talentos, para dar frutos na seara do SENHOR. É preciso pessoas assim, que auxiliem na grande colheita, que humildemente, fazemos;

A seara precisa de despenseiros fieis [1Coríntios 4.2], dispostos a dedicar o tempo em oração, ao trabalho voluntário, ao auxílio com suas dádivas aqueles que mais necessitam, infelizmente, milhares utilizam de seus recursos para contribuir para o enriquecimento de homens fraudulentos e na manutenção de “templos de tijolos” que perecem, na esperança de serem eles, financiadores de obras dos homens, abençoados por Deus; tolo engano!!

Assim, neste tempo que se chama Hoje, tenhamos fé na rica esperança na gloriosa vinda de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo, o qual, ao Seu tempo, se deu a Si mesmo por nós para remir de toda a iniquidade, e purificar para Si um povo Seu especial, zeloso de boas obras [Tito 2.14]...

Precisamos entender preciosamente o ensinamento de Cristo Jesus, e entender que frustradas são nossas provisões futuras, porque, somos advertidos a não nos inquietar, “pois, pelo dia amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal” [Mateus 6].


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses de Sua Igreja.
.

dezembro 26, 2010

Os crentes aguardam o repouso celestial [Isaías 32.18], e você, ainda se preocupa com as bênçãos materiais??!!

.

Temos temor, que, porventura, deixando a promessa de entrar no seu repouso, pareça que alguns ficam para trás na ansiedade das bênçãos desta vida terrena.

Porque também a nós foram pregadas as Boas Novas, como a eles, mas a Palavra da pregação, do evangelho de Cristo e não de homens, nada lhes aproveitou, porquanto não estava misturada com a fé naqueles que a ouviram.

Porque nós, crentes, entramos no repouso, tal como disse: “Assim jurei na minha ira que não entrarão no meu repouso”;

Porque em certo lugar disse assim do dia sétimo: “E repousou Deus de todas as Suas obras no sétimo dia”.

E outra vez neste lugar: “Não entrarão no meu repouso”.

Visto, pois, que resta que alguns entrem nele, e que aqueles a quem primeiro foram pregadas as Boas Novas não entraram por causa da desobediência, determina outra vez certo dia, Hoje, dizendo por Davi, muito tempo depois, como está dito: “Hoje, se ouvirdes a Sua voz, não endureçais os vossos corações”...

... portanto, “resta ainda um repouso para o povo de Deus” [Hebreus 4]!

Porque aquele que entrou no seu repouso, ele próprio repousou de suas obras [Deuteronômio 15.11; Provérbios 29.7; Mateus 25.31-46; 26.11; Lucas 14.13; 2Coríntios 9.9; Gálatas 2.10], como Deus das Suas.

Procuremos, pois, entrar naquele repouso, para que ninguém caia no mesmo exemplo de desobediência;

Porque “a Palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até a divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração” [Hebreus 4].

E não há criatura alguma encoberta diante dEle; antes todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos dAquele com quem temos de tratar.

Visto que temos um grande Sumo Sacerdote, Jesus, Filho de Deus, que penetrou nos céus, retenhamos firme a nossa confissão, não nos respaldando em homens, mas, seguindo o exemplo daqueles que mantiveram firme a pregação do evangelho para salvação, e não daqueles que pregam as promessas materiais que supostamente são firmadas em contribuições nas mãos de homens religiosos e suas “instituições religiosas com nome de igreja”, que em verdade, não são obra de Deus, mas obras humanas!

Porque não temos um sumo sacerdote (ou um pastor, ou bispo, ou seja lá o título que tiver) que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado.

Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno, desprezando os ensinamentos dos homens religiosos (os tais, pastores, bispos, e outros títulos eclesiásticos) que vivem do suor do rosto alheio através de dízimos e ofertas alçadas entregues nas chamadas “igrejas”.


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses de Sua Igreja.
.

dezembro 14, 2010

Então é Natal!! A maioria dos evangélicos comemora o nascimento, mas nós, crentes, anunciamos a morte do Senhor, até que venha!!

.
Testemunhamos, infelizmente, que o pai da mentira [João 8.44], a cada dia mais, está tendo acesso ilimitado aos arraiais religiosos, em especial, aos evangélicos;

É inconcebível que, aqueles a quem se chama de “liderança”, iniciam-se por eles próprios, este anúncio natalino, do nascimento de nosso Senhor e Salvador neste período de dezembro;

Alguns, com supostas boas intenções, dizem que esta “data” traz paz, alegria, amor... mas como??

Pois, somente nesta data, de dezembro, é que a maioria dos homens se transfigura em “bonzinhos”, porque no resto do ano, ninguém se lembra de ninguém, e isto também se apresenta para a maioria dos evangélicos que querem comemorar este tal de Natal, e se apropriarem de símbolos que em nada lembra a fé em Cristo!!!

Portanto, busquemos entendimento ao Espírito Santo e o que nos diz as Sagradas Escrituras:

Nasceu-nos o Menino [Isaías 7.14; 8.6] em carne e osso, porém, Sua missão, mais importante que Seu nascimento (Ele é O mesmo ontem, hoje, eternamente [Hebreus 13])...

... foi a Sua morte, porque “Ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, e pelas Suas pisaduras fomos sarados” [Isaías 53]...

E, é neste sentido que somos por amor, em fidelidade ao sofrimento de nosso Senhor e Salvador, conforme Sua ordenança, anunciar a Sua morte, até que venha:

- “Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha” [Mateus 26.17-30; Marcos 14.12-26; Lucas 22.7-23; 1Coríntios 11.23-29].

Cristo derramou Seu santo e imaculado sangue para nos trazer salvação, paz, como Ele mesmo diz: “Este cálice é o novo testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim”.

É, pois, sem dúvida alguma, um equívoco maligno (não preciso alertar sobre o "Natal" ser uma festividade pagã), que vários evangélicos insistem em comemorar esta data de 25 de dezembro, supostamente, como o dia de nascimento do Menino, Filho de Deus, e na insanidade bíblica de dizerem que neste período o amor aflora...

... mas, digo, sinceramente, aflora a hipocrisia, e infelizmente, dos que se dizem ser povo de Deus!!!


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses de Sua Igreja.

.

novembro 25, 2010

Somos crentes contraditórios, ou o ensino dos evangélicos o são??!!

.
Alguns farão críticas, afirmando que os assuntos que por hora serão abordados são repetitivos, entretanto, não podemos deixar cair no esquecimento, precisa-se a todo o momento que tais relevantes assuntos sejam tratados, pois que, são dos interesses da obra de Deus, os quais, quando ensinados de maneira não condizente com a Palavra de Deus, certamente servem de tropeço para a salvação de almas.

Há muitos pequeninos na fé (novos convertidos) que precisam de alimento puro, é necessário que não se contaminem, estejam arraigados e edificados em Cristo e confirmados na fé, abundando em ação de graças; tendo cuidado, para que ninguém os faça de presa, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo;

Os pequeninos na fé precisam entender e conhecer da simplicidade do evangelho de Cristo, e não na complexidade das questões de religiosos, pois, se os pequeninos estão mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, muitos os querem carregar ainda de ordenanças, como se vivessem no mundo, tais como: “Não toques, não proves, não manuseies? As quais coisas todas perecem pelo uso, segundo os preceitos e doutrinas dos homens” [Colossenses 2.20-22] e de mulheres que teimam no episcopado;

Para que ninguém domine aos pequeninos na fé a seu bel-prazer com pretexto de humildade, envolvendo-se em coisas que não viu; estando debalde inchados na sua carnal compreensão; os quais têm, na verdade, alguma aparência de sabedoria, em devoção voluntária, humildade, e em disciplina do corpo, mas que não são de valor algum senão para a satisfação da carne.

São diversos os pregadores que têm ensinado sobre “religião”, mas, poucos são os que demonstram biblicamente o que venha a ser “religião”; porque assim diz a Palavra de Deus através da epístola de Tiago [1.27], que tão somente a religiãopura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo”.

Iniciemos, então, a discussão em torno das controvérsias de ensinos:

Igreja de Cristo

Pela Palavra de Deus entendemos que, os que professam o nome do Cordeiro de Deus são o “templo” do Espírito Santo [1Coríntios 3.16; 6.19], e que Deus não habita em templos (ou instituições religiosas com nome de igreja ou igrejas evangélicas ou denominações ou congregações evangélicas) feitos pelas mãos dos homens [Atos 17.24];

A Igreja de Cristo como um todo, é a reunião daqueles que amam e professam o nome do Cordeiro de Deus sobre a face da terra; sem rótulos, e sem dogmas...

Deus é Pai de uma única família. E fazemos parte dela! Junto com centenas de milhares de muitos outros irmãos espalhados sobre a terra. Muitos deles que nem conhecemos. E muitos que nem os considerávamos antes.

As instituições religiosas com nome de igreja ou igrejas evangélicas ou denominações ou congregações evangélicas não têm respaldo bíblico para afirmar que são a Igreja de Cristo ou “casa do Senhor”, porque nada mais são que locais de reunião de possíveis irmãos, de pessoas justas e injustas também; são organizações religiosas e em muitos dos casos, apenas redutos familiares onde somente marido e mulher ou membros da família quem administra.

Dons

Deus tem operado maravilhas no meio de Seu povo, agraciando conforme Sua vontade, dons aos homens [Efésios 4.11; 1Coríntios 12.1-11], para que cuidam, amam, zelam pelas ovelhas de Seu rebanho [1Pedro 5.1-3], como que se fossem prestar conta delas com a própria vida [Hebreus 13.7,17]; estes dons são exclusivamente para “aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo”.

Entretanto, há alguns homens, tornando-se religiosos, que se utilizam de nomenclaturas ou títulos pomposos, como pastores, apóstolos, bispos, patriarca, simplesmente para requer (em muitos dos casos, exigir) privilégios, destaque, merecimentos por seus trabalhos, querem ser maiores que os outros irmãos, indo descaradamente contra o ensino de Cristo que nos exorta a nos tornarmos “servos”, a servimos ao nosso próximo e não exigir que sejamos servidos;

O verdadeiro chamado de Deus aos homens firma-se tão somente em “amar”, “cuidar”, dar sustento aos necessitados na ação do Espírito Santo!!

Infelizmente, o ensino dos “evangélicos” tem absorvido tanto aos membros das instituições religiosas com nome de igreja ou igrejas evangélicas ou denominações ou congregações evangélicas, que alguns demonstram “tanto” respeito por seus superiores eclesiásticos (pastores, bispos, apóstolos) que não está sobrando nenhum para eles próprios!!

Missões, evangelismo

Todos conhecemos a Grande Missão que Cristo nos incumbiu, o IDE, fazendo discípulos (dEle, Cristo, não de homens) e batizando [Mateus 28.19,20];

E, para este IDE, a Palavra de Deus traz em ênfase o ensino a que ninguém deve levantar dinheiro com outros e muito menos fortunas para pregar as Boas Novas ou para a evangelização ou para levar almas a Cristo, porque o verdadeiro chamado de Deus para ir-se pregar evangelizando, consiste na ação do Espírito Santo e não do dinheiro, é isto que disse Jesus em Mateus 10:

E, indo, pregai, dizendo: É chegado o reino dos céus.
Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai.
Não possuais ouro, nem prata, nem cobre, em vossos cintos,
Nem alforjes para o caminho, nem duas túnicas, nem alparcas, nem bordão; porque digno é o operário do seu alimento.


Haverá os que afirmam da necessidade de dinheiro para as missões, sabemos disto, mas, é necessário entender que quem abrirá portas e dará sustento aos missionários, será somente Deus, pela ação do Espírito Santo, devemos ter o coração contrito e no desejo de realizar a obra de Deus, e esperar por suas providências e não fazer as coisas de nosso intuito;

Deus proverá, como provêm a todos aqueles que almejam servi-Lo; Filipe não usou de dinheiro e nem de avião, mas firmou-se na ação do Espírito Santo, evangelizou e batizou o eunuco [Atos 8.26-40].

Existem diversos patéticos programas evangélicos de televisão que estão fazendo verdadeiras fortunas (e de seus proprietários) pregando a mentira em que “é dando que se recebe”, ou, “quem planta colhe”; seus apresentadores, que se transfiguram em “pastores”, conferencistas, verdadeiros intelectuais financeiros, utilizam-se destes jargões fazendo discípulos e financiadores, que na realidade são preguiçosos que pagam para os outros fazerem (se é que fazem) o que eles deveriam fazer e desobedecem a ordenança divina, pois que, cada um de nós é quem deve IR!!

Congregar - Hebreus 10.25

Ensinam nas instituições religiosas com nome de igreja ou igrejas evangélicas ou denominações ou congregações evangélicas que somente estar-se-á em comunhão e congregando quando se está em uma destas ditas igrejas e que somente será salvo quem frequentá-las; ou melhor, dizendo, tornaram uma instituição o termo “congregação”!

Mas, a salvação somente está em Cristo e o SENHOR não obriga ninguém a estar “congregando” em uma instituição religiosa com nome de igreja ou igreja evangélica ou denominação ou congregação evangélica...

... Jesus enfático, afirma que nossa reunião ou união ou congregação deve ser em torno dEle e não existe relato bíblico para afirmar que tem que ser em uma instituição religiosa com nome de igreja ou igreja evangélica ou denominação ou congregação evangélica, mas é de se considerar que Sua Verdade nos basta quando diz claramente e solene: “Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles” [Mateus 18.20];

Notemos que no relato deste amor divino em Mateus 18.20, Jesus nos ensina a importância e relevância de estarmos reunidos ou congregando em Seu santo nome;

Notemos ainda que, o número de irmãos reunidos ou congregando em nome do SENHOR não se faz necessário ser de dezenas, centenas ou milhares, mas tão somente estando reunidos ou congregados em nome do SENHOR, dois ou três irmãos, Jesus já se faz presente. Aleluia!!

O intuito de se frisar sobre o “congregar” ou congregação, é afirmar que a comunhão não é somente nos templos das instituições religiosas com nome de igreja ou igrejas evangélicas ou denominações ou congregações evangélicas, mas, há comunhão também quando congregamos nos cultos nas casas ou nos lares, em qualquer lugar, mas o essencial, é que o “congregar” deve ser em Cristo, por Cristo e para Cristo, e que nossa congregação é a Igreja de Cristo;

Infelizmente, através de diversos templos, há um sistema religioso que, em detrimento a santificação, ocupa as mentes com religiosidade, afim de que simplesmente se façam frequentadores assíduos e ouvintes cegos, e, por conseguinte, financiadores das organizações religiosas com nome de igreja e de seus proprietários...

Coisas materiais e as bênçãos de Deus

O ensino dos evangélicos quanto as bênçãos de Deus, vai de encontro da necessidade de cumprir preceitos da lei mosaica (a Lei de ordenanças dada a nação de Israel), refletindo ao Antigo Testamento, e na busca incansável por bênçãos para prosperidade e solução de problemas materiais nesta vida, para tanto, se deve contribuir com dízimos e ofertas nas instituições religiosas com nome de igreja ou igrejas evangélicas ou denominações ou congregações evangélicas para que Deus abençoe; entretanto, podemos afirmar que esta modalidade de contribuir com dízimos e ofertas ou qualquer outro fim para ministérios e ministros não é contemplada pela Bíblia;

Encontramos diversos “evangélicos” que afirmam devolver os dízimos não por obrigação, mas, é um ato voluntário, mas, se esquecem que nenhum de nós poderá voluntariamente dar algo a Deus, porque tudo vem do SENHOR [“Porque quem sou eu, e quem é o meu povo, para que pudéssemos oferecer voluntariamente coisas semelhantes? Porque tudo vem de ti, e do que é teu to damos” – 1Crônicas 29.14].

Alguns exemplos de homens de Deus, da nação de Israel, foram prósperos (em bens materiais) pelas bênçãos de Deus, muito embora não houver relação de algumas bem aventuranças financeiras relacionadas a entrega dos dízimos ou ofertas para “instituições religiosas” (Abraão deu dízimos uma única vez; Jacó prometeu dízimos, mas, não há comprovação bíblica de que assim procedeu; Jó não fez relatos de dízimos, José também não, muito menos Daniel), apesar de Malaquias [3.10] conter promessas de prosperidades materiais pelo uso da Lei mosaica a nação de Israel;

Com o advento de em o Novo Testamento, pela crucificação de nosso Senhor Jesus Cristo, não encontramos tais promessas de prosperidades materiais aos que são fieis; porque, para os crentes, Jesus traz salvação e, portanto, as prosperidades materiais tornam-se supérfluas, não tem valor, são sem importância diante a graça de Deus que nos traz rica esperança em Cristo Jesus;

Não há números que possam mostrar a grandeza em alegria nos corações dos crentes em se preparar nesta vida [1Tessalonicenses 5.23] para estar com o SENHOR pela vida eterna, mesmo que comparada com as riquezas materiais;

Ensina-nos a Palavra de Deus, que diante o jovem rico, Jesus enfatizou que nossas dádivas (tudo quanto adquirimos com o suor do próprio rosto, sendo assim, abençoadas por Deus) devem ser direcionadas ao nosso próximo, aqueles que passam necessidades [Mateus 19]; portanto, novamente afirma-se que não há ensina bíblico para manutenção de templos, ministérios e ministros evangélicos.

Promessas

Muitas foram as promessas a nação de Israel através de tudo quanto nos deparamos com a Antiga Aliança (Antigo Testamento, nação de Israel: Deus fez surgir Israel de uma maneira singular, na escolha de Abrão e Sarai, para preservar Sua identidade étnica, nação conduzida por Moisés e Josué), inclusive coisas materiais...

... porém, para a Igreja de Cristo (que foi edificada, constituída sobre a própria pessoa de Jesus), as promessas que nos foram agraciadas através de o Novo Testamento, não se relacionam as coisas desta vida, não se firmam na entrega de contribuições (em forma de dízimos, ofertas, ou qualquer outra modalidade), mas tão somente, ao amor incondicional que levou Cristo a cruz:

A gloriosa volta de nosso Senhor e Salvador, para buscar aqueles que são Seus, O qual se deu a Si mesmo por aqueles que Lhes são fieis para remi-los de toda a iniquidade, e purificar para Si um povo Seu especial, zeloso de boas obras, para isto, assim perseverou em afirmar: “E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também” [João 14.3]...

... a vida eterna [1João 2.25], a maior riqueza para aquele que é fiel a Deus (nada nesta vida comparar-se-á a ela) que será agraciada aos que crêem professando o nome do Cordeiro de Deus e perseveram até o fim [Mateus 24.13], onde, contemplaremos a beleza da santidade de Deus, diante a face do Santo Cordeiro [Apocalipse 1.10-18]!!

Concluí-se então...

... que é doravante necessário que todos meditem, leiam a Bíblia, com reverência, sistematicamente (não somente em cultos), em especial quando das orações, confrontando sempre tudo o que nos falam acerca das coisas de Deus, buscando entendimento para com Deus, que pela ação do Espírito Santo nos abrirá aos olhos para que contemplemos a Verdade que liberta.

Sejamos honestos com Cristo, que veio ao mundo, mostrou para os homens o caráter de Deus, sofreu, foi humilhado, cuspiram em Seu rosto, esbofetearam, zombaram, foi preso, sendo Inocente foi acusado e julgado culpado, crucificaram na cruz do Calvário, e havendo por Ele feito a paz pelo sangue da Sua cruz, por meio dEle reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra, como as que estão nos céus; e, sendo Ele, Cristo, consumado, veio a ser a causa da eterna salvação para todos os que Lhe obedecem...

... o que mais podemos requerer do SENHOR, a não ser adorá-Lo em espírito e em verdade??!!


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses de Sua Igreja.
.

novembro 18, 2010

HÁ QUANTOS ANDAMOS PRECISANDO DE DEUS??!!

.
Têm-nos ensinado as Sagradas Escrituras que, quando aceitamos ao Filho de Deus, o Cordeiro que tira o pecado do mundo, como nosso Senhor e Salvador, passamos a ter uma vida nas providências e dependência exclusiva em Deus, não podemos de forma alguma firmar em nossa capacidade, conhecimento ou qualquer outra atitude que for, e por assim dizer, afirma-se na epístola de Tiago:

Eia agora vós, que dizeis: Hoje, ou amanhã, iremos a tal cidade, e lá passaremos um ano, e contrataremos, e ganharemos;
Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque, que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco, e depois se desvanece.
Em lugar do que devíeis dizer: Se o Senhor quiser, e se vivermos, faremos isto ou aquilo.
Mas agora vos gloriais em vossas presunções; toda a glória tal como esta é maligna.
” [Tiago 4]

E neste sentido, muitos têm adentrado as “entidades religiosas com nome de igreja” (as denominações ou igrejas evangélicas) e se permitido na busca incessante de prosperidade material ou solução de problemas desta vida, por que assim são ensinados... pois que, não esperam pelas providências de Deus, mas, insinuam e presumem em barganhar por vontade própria seus anseios e necessidades pela amabilidade aos bens materiais e as coisas que perecem!!

E contra o ensino da busca por bênçãos ou por ser abençoados simplesmente pelo fato de se entregar qualquer dinheiro (em forma de dízimo ou oferta ou seja lá o nome que se dá) em uma “entidades religiosas com nome de igreja” (as denominações ou igrejas evangélicas), assim disse Jesus:

Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos?
(Porque todas estas coisas os gentios procuram). De certo vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas;
Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a Sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.
Não vos inquieteis, pois, pelo dia amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.
” [Mateus 6]


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses de Sua Igreja.
.

novembro 08, 2010

Beatificação evangélica

.
No meio daqueles que dizem professar o nome do Cordeiro de Deus, encontramos dois grupos distintos, os que “se acham santos” e os que “buscam ser santos”!!

Em geral, os que “se acham santos”, são convencidos de uma religião, se permitem em uma vida paralela as coisas mundanas; somente visualizam a presença de Deus quando estão dentro de um templo religioso ou de uma instituição religiosa com nome de igreja;

Institucionalizaram o “congregar” como frequentar uma “instituição igreja”, que em muitos dos casos misturam o santo ao profano... são perspicazes, críticos no uso do fundamentalismo e legalismo bíblico no dia a dia religioso de suas instituições igreja, são intelectuais e manipuladores;

De uma maneira quase na totalidade, os que “se acham santos”, vivem por aquilo ditado dos púlpitos, altares(??) e palcos show gospel, por seus “lideres” ou suas “autoridades espirituais” (evangélicas, do candomblé, católica, espírita: tudo é o mesmo) que são homens e mulheres que se acham os representantes exclusivos de Deus na terra; atribuem ainda, aos patéticos programas televisivos uma religiosidade que os imune por praticarem o IDE da Grande Missão [Mateus 28.19,20] quando participam da manutenção e sustento eclesiástico;

Em verdade, quando se visita um, que chamam de culto, em uma igreja evangélica (por exemplo), é quase que impossível presenciar sermões sobre se santificar ou se preparar a vida vindoura [1Tessalonicenses 5.23; Tito 2.14], entretanto, podemos notar que a maioria destes sermões estão vinculados a vitórias, a enriquecimento aos que mantêm estas obras religiosas de homens através de dízimos e ofertas (que na verdade somente possuem o nome de “oferta”, pois, existem valores estipulados).

Já os que “buscam ser santos”, se convertem ao evangelho de Cristo, se primam pelo anúncio da salvação na pessoa de Jesus Cristo; em geral não se preocupam na frequência aos templos ou instituições igreja, congregam nos lares ou em qualquer lugar [Mateus 18.20]; por muitas das vezes são penalizados pelos que “se acham santos”, pois, os ridicularizam rebeldes, insubordinados, pejorativamente os chamam de satanistas, alienados, desigrejados;

Portanto, não tenha vergonha de ser crente [Gálatas 3.9; 1Coríntios 1.21], de buscar a santificação [1Tessalonicenses 4.7; Hebreus 12.14], de ser desigrejado das instituições religiosas com nome de igreja...

... porque, a Igreja de Cristo não é um templo religioso com nome de “igreja”, mas, é a reunião de todos aqueles que amam e professam o nome do Cordeiro sobre a face da terra; sem rótulos, sem ser uma denominação, sem doutrinas de cunho humano, e sem dogmas!!


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses de Sua Igreja.

.

novembro 03, 2010

Tolerância, liberdade e amor

.
Frequentes são as dúvidas em torno daquilo que podemos ou não praticar diante o ensinamento do evangelho de Cristo, da Palavra de Deus, ou como somos criticados pelo testemunho que trazemos de Cristo em nossas vidas por nossos atos e ações.

Porém, não podemos entrar em contendas sobre dúvidas; porque um crê que de tudo é lícito sabendo que nem tudo convêm, e outro, que tudo não convêm...

Mas, não se pode desprezar ao que tudo é lícito; e o que crê que tudo não convêm, não julgue a outrem; porque Deus o recebeu por Seu.

Quem somos, que julgamos o servo alheio? Para seu próprio senhor ele está em pé ou cai. Mas estará firme, porque poderoso é Deus para o firmar!

Precisamos estar inteiramente seguros em nossa própria mente; porque nenhum de nós vive para si, e nenhum morre para si; porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. De sorte que, ou vivamos ou morramos, somos do Senhor. Porque foi para isto que morreu Cristo, e ressurgiu, e tornou a viver, para ser Senhor!

Pois, todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo [2Coríntios 5.10], de maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus.

Assim que não nos julguemos mais uns aos outros; mas, é para proveito, nós como servos de Deus, julgar os atos de nossos irmãos ou das pessoas segundo a Palavra de Deus, pois está escrito: “Não julgueis segundo a aparência; mas julgai segundo a reta justiça” [João 7.24]; claro que esse julgamento não é para condenar ninguém, mas sim para a prevalência da Verdade do evangelho, sabendo que, o nosso propósito não seja pôr tropeço ou escândalo a quem quer que seja.

Estejamos certos no Senhor Jesus, que nenhuma coisa é de si mesma imunda, a não ser para aquele que a tem por imunda. Mas, se por causa daquilo que se crê que é lícito e que nem tudo convêm se contrista teu irmão, já não andas conforme o amor. Não destruas por causa da tua consciência aquele por quem Cristo morreu. Não seja, pois, blasfemado o vosso bem.

Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo. Porque quem nisto serve a Cristo agradável é a Deus e aceito aos homens” [Romanos 14.17,18].

Sigamos as coisas que servem para a paz e para a edificação, não destruindo por causa daquilo que se crê a obra de Deus; verdade é que tudo é limpo, mas mal vai para o homem que faz as coisas por escândalo; nem fazer outras coisas em que alguém tropece, ou se escandalize, ou se enfraqueça.

Tenhamos fé em nós mesmos diante de Deus; bem-aventurado aquele que não se condena a si mesmo naquilo que aprova; mas aquele que tem dúvidas, está condenado, porque não tem fé; e tudo o que não é de fé é pecado!!


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses de Sua Igreja.
.

outubro 29, 2010

É melhor confiar no SENHOR do que confiar no homem.

.
Desde os seus primórdios, a humanidade tem se firmado em confiar no homem, aconteceu com Israel que buscou um rei para si, desprezando a confiança em Deus [1Samuel 8.6-8]...

E, também, hoje, infalível é testemunhar que muitos têm colocado sua confiança nas palavras de homens, nos “pastores” intelectuais religiosos, que nos púlpitos ou programas patéticos na televisão, denotam certa figura de piedade, porém são lobos devoradores que fazem suas presas com seus ensinamentos da indulgência, da compra de pedacinhos do céu, na barganha de bênçãos, e por fim, trazem ilusórias esperanças a incautos, que não se firmam em buscar entendimento da Palavra de Deus, e somente, ouvem aos homens!

Mas, Jesus, se esvaziou da glória e subiu no madeiro. Aleluia!! Restaurando-nos a rica esperança e a confiança de que somente em Deus é em quem podemos confiar...

Somente, o Senhor Jesus é quem deu de Si por nós, portanto, nossa confiança não pode ser em palavras de homens (que só as dizem, mas, não as cumprem, aliás, as vendem);

Mas Jesus, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos nossos pecados, está assentado a destra de Deus; porque com uma só oblação aperfeiçoou para sempre os que são santificados. Aleluia!!

Jesus nos predisse que teríamos muitas aflições nesta vida [João 16.33], que muitas seriam as lutas, porém, sem Ele nada poderemos fazer [João 15.5], entretanto, nos trouxe ânimo quando nos garante que somos mais que vencedores [Romanos 8.37]...

E como será confiar somente em Deus?? Simplesmente entendendo que a vontade de Deus é que sejamos totalmente dependentes dEle, que tudo quanto almejamos seja de conformidade com a Sua vontade, não a nossa, que nada precisamos nos preocupar nesta vida, pois, o SENHOR em tudo nos tem amparado;

Por isso que sempre afirmamos e temos a certeza em Cristo que não há necessidade de nos preocupar com a doutrina dos dízimos ou com as ofertas para os templos, pensando que Deus irá nos abençoar;

Porque desde a fundação do mundo, Deus já nos preparou todas as coisas [Mateus 25.34; Efésios 1.4], basta que confiemos somente no SENHOR, e no mais, tudo, tudo, mas tudo mesmo, Deus irá nos suprir, e não é o homem quem afirma isto, mas é o cuidado de Deus para conosco; Jesus Cristo assim o disse: “Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário?” [Mateus 6.19-34]!

É como diz o salmista: “Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nEle, e Ele o fará”... porque Deus Pai quer que sejamos dependentes dEle, como filhos amados.


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses de Sua Igreja.
.

outubro 27, 2010

Revelação de Deus: Uma Vista Panorâmica da Bíblia

.
Deus criou o homem como um ser inteligente para ter comunhão com Ele. De todas as criaturas, o homem é o único feito a imagem e semelhança de Deus [Gênesis 1.27]. Desde a criação, Deus tem desejado que escolhamos imitá-Lo e estar com Ele. Para fazer isso, precisamos saber quem Ele é e o que Ele deseja de nós; é por isso que Deus nos deu a Bíblia. Ela é a revelação de Deus para nos equipar para toda a boa obra [2Timóteo 3.16-17]; Ela começa com a história da Criação, para nos mostrar o quanto Deus nos ama e o quanto Ele quer que estejamos com Ele; Ela também nos mostra o quanto Ele odeia o pecado e a desobediência, as barreiras que nos separam de nosso Criador.

Duas Grandes Divisões

A Bíblia é dividida em duas partes maiores, conhecidas como o Velho Testamento e o Novo Testamento. O Velho Testamento fala sobre a criação do homem e de suas lutas sem sucesso contra o pecado. Ele nos ajuda a ver o que é o pecado e a entender suas consequências, mas não revela completamente a solução [Romanos 3.19-23]. O Novo Testamento dá a resposta ao problema do homem na pessoa de Jesus Cristo [Romanos 1.16-17]. Apesar de que algumas pessoas ainda o rejeitem, Ele é o único meio de salvação [Atos 4.11-12].

Referimo-nos a essas partes da Bíblia como Testamentos ou Alianças, porque elas mostram como Deus revelou Sua vontade a diversas pessoas em diferentes épocas. O Velho Testamento é principalmente sobre o povo de Israel, os descendentes de Abraão, Isaque e Jacó. Deus os escolheu como nação especial e fez um pacto com eles; Ele comunicou-lhes a Lei no Monte Sinai e a entregou por intermédio de Moisés, Seu servo fiel. Essa Aliança foi dada para proteger o povo do mal enquanto ilustrava, muito claramente, a consequência mortal do pecado. Sem a informação que nos é dada no Velho Testamento, seria difícil entender as palavras de Paulo: "... porque o salário do pecado é a morte..." [Romanos 6.23];

Hoje, entendemos muitas coisas importantes no Velho Testamento. Aprendemos sobre a natureza do Deus verdadeiro que governa o futuro e nunca quebra Suas promessas [Romanos 15.1-4]; observamos os perigos da desobediência [1Coríntios 10.1-13]; encontramos alguns detalhes do plano perfeito de Deus quando Ele prepara o envio de Seu Filho Amado para nos salvar [João 5.39].

Mas o Velho Testamento não foi destinado a ser a palavra final. Deus enviou mensageiros para entregá-lo, mas já estava preparado para enviar Seu próprio Filho para dar a revelação completa e final de Sua vontade para todos os homens [Hebreus 1.1-2]. Jesus prometeu aos apóstolos que eles seriam guiados pelo Espírito Santo "... a toda a verdade..." [João 16.13]; eles serviram como "vasos de barro" para comunicar a verdade a todos os homens [2Coríntios 4.7; Colossenses 1.23]. Eles a escreveram nos livros que agora temos, denominado como Novo Testamento, e declararam que a fé havia sido entregue "... uma vez por todas... aos santos" [Judas 3]; ninguém tem o direito de acrescentar a esta revelação ou pregar qualquer outra doutrina [Gálatas 1.6-9]; é errado ir além do que nos foi revelado na Palavra de Cristo [1Coríntios 4.6; 2João 9].

Para nos ajudar a entender e apreciar a mensagem da Bíblia, consideremos brevemente o conteúdo dos 66 livros dos quais Ela se compõe. Se você é um estudante novo, estas notas poderão ajudar a saber um pouco sobre o contexto de cada livro. Se você já estudou cuidadosamente toda a Bíblia, estas observações o também podem ajudar a relembrar a beleza e a unidade de Sua mensagem.

O Velho Testamento: 39 Livros Apontando para o Cristo

Podemos dividir o Velho Testamento em quatro categorias de livros.

Cinco Livros da Lei, Também Conhecidos como o Pentateuco

Gênesis fala da Criação do universo e da corrupção do homem pelo pecado. Esse livro começa a contar como Deus enviaria um descendente de Abraão para salvar os homens de seus pecados. Êxodo continua a história da família de Abraão. Depois de quatro séculos no cativeiro egípcio, esse povo foi salvo por Deus e eleito como Seu povo especial. Esse livro conta o começo de sua jornada em direção a terra prometida de Canaã, e registra os Mandamentos que Deus deu a Moisés e aos israelitas no Monte Sinai. Os próximos três livros, Levítico, Números e Deuteronômio continuam a mesma história, terminando com a morte de Moisés pouco antes de o povo entrar na terra prometida.

Doze Livros de História

Após a morte de Moisés, Josué conduziu o povo na conquista da terra que Deus tinha entregado a eles. Depois que Josué morreu o Senhor usou uma série de Juízes para salvar os israelitas, repetidamente, das consequências de seu próprio pecado. O pequeno livro de Rute é uma linda história do amor e da lealdade ocorrida nesse período de tempo. 1Samuel é um livro de transição no qual lemos sobre o fim do período dos juízes e sobre o começo da monarquia em Israel. 2Samuel, 1 e 2Reis e 1 e 2Crônicas falam dos reis que reinaram sobre os descendentes de Abraão. Alguns foram muito bons e piedosos, mas alguns foram tiranos egoístas. O povo seguiu seus líderes ímpios e persistiu na idolatria. Deus foi paciente durante longo tempo, mas finalmente usou forças estrangeiras para derrotar e levar o povo em cativeiro. Esdras, Neemias e Ester falam desse cativeiro e também como Deus libertou o povo e permitiu-lhe voltar à sua própria terra.

Cinco Livros de Sabedoria

"O temor do Senhor é o princípio do saber…" [Provérbios 1.7]. Essa é a mensagem ressaltada através dos cinco livros que chamamos livros de sabedoria ou poesia. é um livro sobre o sofrimento. Pessoas justas sofrem, sim, e nem sempre sabem o porquê. Mas, podemos sempre confiar em Deus quando enfrentamos dificuldades. Os Salmos são cânticos de louvor que foram usados freqüentemente no templo ou na adoração individual. Eles glorificam a grandeza e a misericórdia de Deus. Provérbios são breves afirmações de sabedoria prática. Aqui aprendemos como conviver com outras pessoas e a importância de se preparar para a eternidade. Eclesiastes fala da busca de um homem pelo significado da vida, e conclui que não há significado nenhum longe do Criador. Cântico dos Cânticos é uma história de amor. Uma mulher jovem precisa escolher entre o conforto com um homem rico e o amor completo de um pobre.

Dezessete Livros de Profecia

Os livros restantes do Velho Testamento são mensagens enviadas por vários pregadores inspirados, conhecidos como profetas. Eles estão relacionados no mesmo período de tempo coberto pelos livros de história, e a maioria deles fala sobre os descendentes de Abraão. Esses livros incluem referências ocasionais ao futuro, especialmente profecias sobre a primeira vinda de Jesus Cristo. Os primeiros cinco desses livros, por serem eles geralmente mais longos, são conhecidos como os profetas maiores. Isaías escreveu cerca de 700 anos antes de Cristo e usou a queda de Israel (a maioria dos descendentes de Abraão) para advertir Judá (as tribos restantes) que precisavam arrepender-se. Jeremias veio cerca de 100 anos mais tarde e deu as advertências finais de Deus ao povo rebelde de Judá antes de sua queda. Ele também escreveu Lamentações, um livro de luto por causa da destruição de Jerusalém. Ezequiel e Daniel estavam entre os cativos de Judá. Eles instaram o povo a arrepender-se e assegurou-o de que Deus o resgataria de seu cativeiro.

Os 12 livros restantes do Velho Testamento são chamados Profetas Menores, porque são mais breves. Sua mensagem não é menos significativa. Alguns deles foram escritos por volta do tempo das quedas de Israel (Amós, Oséias e Miquéias) e de Judá (Sofonias e Habacuque). Joel adverte o povo de Judá quanto à necessidade de arrependimento. Jonas e Naum falam das consequências dos pecados do povo de Nínive e Obadias adverte os edomitas sobre sua punição iminente. Os últimos três profetas do Velho Testamento (Ageu, Zacarias e Malaquias) encorajaram o povo que havia retornado do cativeiro a servir a Deus fielmente.

O Novo Testamento: 27 Livros que Mostram como Seguir a Jesus

Podemos dividir o Novo Testamento também em quatro categorias maiores, baseadas no conteúdo dos livros.

Quatro Livros Sobre a Vida de Cristo

Os primeiros quatro livros do Novo Testamento são relatos biográficos que registram a vida e o ensinamento de Jesus na terra. Cada livro (Mateus, Marcos, Lucas e João) salienta pormenores diferentes da vida do Senhor. Para melhor entendimento, eles devem ser estudados juntos.

Um Livro Sobre a Obra dos Cristãos Primitivos

O livro de Atos fala das obras dos apóstolos (especialmente Pedro e Paulo) durante cerca de 30 anos depois da morte e ressurreição de Jesus.

Vinte E Uma Cartas

Paulo escreveu a maioria delas. Ele enviou diversas cartas a igrejas (Romanos, 1 e 2Coríntios, Gálatas, Efésios, Filipenses, Colossenses, 1 e 2Tessalonicenses) e outras a irmãos (1 e 2Timóteo, Tito e Filemom). Não sabe ao certo quem escreveu Hebreus, um livro extremamente valioso mostrando a supremacia de Cristo. Quatro discípulos de Cristo escreveram as cartas restantes que foram identificadas pelos nomes de seus autores: Tiago, 1 e 2Pedro, 1, 2 e 3João e Judas.

Um Livro de Profecia

O livro de Apocalipse foi escrito para confortar os irmãos perseguidos com a convicção que Cristo seria vitorioso sobre todos os seus inimigos. Esse livro nos ajuda a ver Cristo como Ele verdadeiramente é: Poderoso e Triunfante sobre satanás e seus aliados! Ele nos assegura que nós, também, podemos ser vitoriosos sobre o mal.

O Desafio para Estudar a Bíblia

Desde Gênesis até Apocalipse, a Bíblia é uma mensagem do amor de Deus por nós. Devemos estudá-la diligentemente todos os dias para que cresça o nosso entendimento de como glorificar nosso Criador e Redentor.


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses de Sua Igreja.
.

outubro 24, 2010

Entrevista: Novos Evangélicos

.
A jovem Juliana Marinho, cursando Psicologia, na Universidade Federal Fluminense, e fazendo uma disciplina que se chama “Psicologia dos Grupos” que, dentre outras coisas, tem a proposta de investigar a formação e o funcionamento de grupos. Dentro desta disciplina, está organizando um trabalho sobre grupos que fogem de algum padrão, que podem ser denominados contraconduta.

O seu grupo escolheu o tema "Novos Evangélicos" e pesquisando sobre o assunto (a revista Época é sua fonte) e buscando outros contatos também; fazendo pesquisas na internet, encontrou nossa modesta Comunidade (“Adoradores em Casas”), e para tanto, assim nos contactou:

A Revista Época do dia 07/08/2010, Edição 638, aborda o tema “Os Novos Evangélicos”. Ela os define como cristãos que buscam o retorno ao Evangelho puro e simples de Cristo, na contramão de boa parte da igreja evangélica brasileira, fascinada com movimentos heréticos como a teologia da prosperidade.

Eles enxergam o cristianismo como algo feito para viver na vida cotidiana e tentam despir os ensinamentos cristãos de todo aparato institucional. Segundo eles, grande parte da igreja protestante, mais precisamente os “neopentecostais”, se encontra cheia de dogmas, tradicionalismos, corrupção e misticismo. Eles se diferem enquanto buscam a essência da espiritualidade cristã, que acabou diluída ao longo dos anos, porque as formas e hierarquias passaram a ser usadas para manipular pessoas.

Com o propósito de se distinguir dessa instituição que a igreja virou, os novos evangélicos procuram voltar à essência da igreja que Jesus criou e ao mesmo tempo adaptá-la aos modos de vida modernos. Eles têm a proposta de estudar a bíblia, viver em comunhão, seguir os ensinamentos de Jesus, buscando extinguir as leis, moralismos e formalismos que os homens criaram dentro da igreja.


Com a providencial colaboração de nosso amado irmão Carvalho (www.cristoeaverdade.net), assim posicionamos:



1- Você se encaixa nessa definição?

Jesus, o maior Amor/"Adoradores em Casas" - Certamente, e todos que têm o desígnio de servir a Deus verdadeiramente tem que trazer consigo esse perfil, ao contrário estará fora do propósito de Deus para salvar o homem do pecado e da morte.

Entretanto se faz necessário esclarecer que esse jeito simples de servir a Deus, não é um atributo dos NOVOS EVANGÉLICOS, mas a verdadeira doutrina de Cristo para salvar a humanidade, porque desde o princípio os Apóstolos já congregavam assim, mas o homem criou a religiosidade e os seus paradigmas.

Entretanto este ministério, não é uma nova doutrina ou uma filosofia de vida, mas a essência da verdade do Senhor Jesus Cristo, a qual está sendo omissa, oculta e desvirtuadas por muitos pregadores;

E se parecemos diferentes das instituições religiosas que o homem trata por “igreja”, não há um objetivo para se destacar dos demais evangélicos, mas sim, em servir a Deus genuinamente, com pureza de Espírito e a simplicidade que o Evangelho de Cristo ensina aos amam a vinda do nosso Redentor.

Importante ainda, é salientar que, não somos um “movimento de rebeldes” como muitos dirigentes (ou proprietários) de “instituições religiosas como nome de igreja” nos qualificam em seus púlpitos, mas entendemos que a Igreja do novo milênio quer se parecer cada vez mais com a Igreja dos primeiros tempos; não se trata de uma volta atrás; tratam-se, isso sim, de se reviver as fontes; a Igreja retratada no livro dos Atos dos Apóstolos era totalmente dedicada a Palavra, ao Testemunho e a Missão.

Trazendo mais uma característica da Igreja primitiva (a Igreja nas casas), afirmamos que a Igreja do novo milênio é chamada a estar mais presente nas casas e ser Igreja da comunhão.

2- Por que você e seu grupo decidiram formar um novo grupo, que se difere da igreja evangélica tradicional?

Jesus, o maior Amor/"Adoradores em Casas" - Não estamos formando um novo grupo, mas, convidamos a todos a repensarem o modo pelo qual se unem em torno do Senhor Jesus, simplesmente, estamos tendo uma visão que também tiveram nos primórdios da Igreja que ao longo do tempo foi sendo cada vez mais distorcido pela igreja evangélica tradicional e seus dogmas;

Isto aconteceu que quando conhecemos o evangelho de Cristo, começamos a visitar várias congregações buscando encontrar o caminho da verdade que apreciávamos nas Sagradas Escrituras. Mas na maioria das vezes, ao invés de encontrar o conforto espiritual revelado na Palavra, encontrávamos pregadores anunciando uma doutrina paradoxal como o evangelho da prosperidade, as campanhas mirabolantes que visam somente bens materiais, e outras formalidades e rituais que não constam no evangelho de Cristo.

Isso nos deixou assustados, e chegamos a pensar que estávamos só, e que éramos nós inconvenientes as doutrinas. Começamos então a pedir incessantemente ao Senhor que nos mostrasse o Caminho da Verdade, e Ele mostrou, apontou para o Seu Amado Filho Cristo Jesus, o qual deu o Seu sangue em sacrifício vivo para libertar o homem que estava morto na maldição do pecado.

Desde então passamos a entender que para servir a Deus verdadeiramente, não se faz necessário se confinar nas edificações feitas por mãos de homens. Começamos a nos reunir nas casas e Deus operou. Hoje, a nossa congregação não tem placa, razão social, nome fantasia, código de barra e nem conta bancária.

E o Espírito Santo de Deus tem feito obras maravilhosas no meio de um pequeno rebanho, onde ninguém precisa pagar nada, porque Cristo já pagou o mais alto preço pela nossa salvação com o Seu próprio sangue.

3- Qual a diferença central entre a prática de vocês e os evangélicos tradicionais?

Jesus, o maior Amor/"Adoradores em Casas" - A diferença se caracteriza quando o verdadeiro obreiro de Cristo busca imitá-lo em Sua perfeição, procura ganhar o pão no suor do seu rosto, e a sua obra é voltada para libertar o homem do pecado. Anunciar o evangelho sem nada receber, não aceitar recompensa material, e o único interesse é pregar o arrependimento, a conversão e a salvação através da aspersão do sangue de Cristo.

Quanto aos obreiros das igrejas denominacionais, são profissionais e as suas obras dispensam comentário.

4- Você acha que a partir desses encontros o grupo consegue produzir algo para si? E a para a sociedade? Explique.

Jesus, o maior Amor/"Adoradores em Casas" - Sem sombra de dúvida, por que a reunião nas casas dos irmãos “em nome do Senhor Jesus” é primeiramente pura, nenhum servo ambiciona ministério, não há visão para lucrar materialmente, porque todos são iguais. Existe amor no seio da igreja, que é o Corpo de Cristo, e a interação vem pela comunhão entre os irmãos pela unidade da fé.

Os Apóstolos de Cristo congregavam e anunciavam a obra exatamente assim, e se alguns as fazem diferentes, estão em confronto com a doutrina dos homens santos de Deus.

Socialmente, como somos grupos pequenos (ou Igrejas Locais, Igrejas nas casas) nossas ações passam por despercebidas como num todo, porém, são ações que, auxiliam as pessoas no contato direto, na ajuda em amparo espiritual e muitas das vezes material;

5- O que o grupo almeja? (qual a proposta dos encontros?)

Jesus, o maior Amor/"Adoradores em Casas" - O propósito do encontro primeiramente é a comunhão entre os irmãos em Cristo, e considerando que o Senhor Jesus nos designou de forma imperativa pelo “IDE” [Marcos 16.15], a ordenança para anunciar o evangelho não é somente para a liderança da igreja ou aos missionários especificamente treinados, mas para todos que receberam a oferta da salvação.

Este é o objetivo do grupo, apregoar o amor de Deus para salvar o homem do pecado e da morte, pelo sacrifício e aspersão do sangue de Cristo e a magnífica obra redentora da Cruz; propomos uma vida desvinculada das coisas materiais, nossa preocupação é como de qualquer outro ser humano (alimento, moradia, trabalho, etc), porém, não como nossas prioridades, pois, primamos por uma vida espiritual.

6- Existe alguma dificuldade em lidar com o grupo? Qual?

Jesus, o maior Amor/"Adoradores em Casas" - Não há dificuldade alguma, ao contrário é gratificante compartilhar com os irmãos o infinito amor de Deus, porque o verdadeiro servo de Deus é humilde, vive em paz com todos, e o Senhor os trata por “ovelhas”;

Por ser pequenos grupos, e em geral, nos lares, estamos reunidos com nossos familiares e nossos irmãos, vizinhos, e alguns que realmente querem uma reunião (culto) sem barulho, músicas, sem uma figura central, deixando os moldes religiosos de séculos, para voltarmos a razão de se crer e adorar a Deus sem intermediários;

A propósito, a ovelha é um animal dócil, inócuo, inofensivo, na ovelha não há o instinto da auto defesa. Por isso o Senhor Jesus recomenda que, se alguém bater num lado da face, deve-se oferecer também a outra. E o crente deve guardar os ensinamentos do Senhor, ao contrário não é ovelha de Cristo e não herdará o Reino de Deus, porque Jesus virá buscar as suas ovelhas.

7- O fato de vocês estarem se reunindo em um grupo que se diferencia de outro grupo específico, causa algum estranhamento nas pessoas? Que tipo de problemas isso traz?

Jesus, o maior Amor/"Adoradores em Casas" - Sim, causa estranheza às pessoas, pois, sempre que conhecemos um irmão ou somos identificados como crentes, a primeira pergunta é, em que igreja o irmão congrega? E ao responderemos que congregamos nas casas dos irmãos, e também como Jesus ensinou, ou seja, onde estiverem dois ou três reunidos em seu nome Ele se fará presente, as pessoas são tomadas de surpresa, porque os ensinamentos que recebemos desde os nossos pais é que, para adorar e servir a Deus tem que ir a igreja (estrutura material), mas a Palavra afirma que o Deus Altíssimo não habita em templos feitos por mãos humanas, porque o Céu é o seu Trono e a terra o estrado dos seus pés.

E isso ocorre porque o povo não consegue ver a Igreja de Cristo sem prédio, porque sem a estrutura física e sem a figura do "pastor”, as ovelhas sentem-se perdidas; o que é lamentável, porque no tempo da graça do Senhor Jesus, nós somos o templo do Espírito Santo, e todos juntos formamos o Corpo de Cristo, que é a Sua Igreja, sendo Ele próprio a cabeça da Igreja.

Temos sido qualificados por “rebeldes” por não aceitarmos a “autoridade espiritual” que os pastores se atribuem, pois, estes querem que todos os segmentos sejam sujeitos a eles, porque isto??

Por que a maioria de nós, somos oriundos das “igrejas evangélicas”, e não saímos do meio (continuamos visitando os templos, mantendo blogs, participamos de comunidades virtuais), mas permanecemos na divulgação de que a Igreja de Cristo como um todo é a reunião de todos aqueles que amam e professam o nome do Cordeiro sobre a face da terra; independente de rótulos, de denominações, de doutrinas, de dogmas...

8- Quais são os aspectos positivos e os negativos dessa reunião?

Jesus, o maior Amor/"Adoradores em Casas" - O lado positivo nesse sistema simples e humilde de servir a Deus, é a Verdade que evidenciamos em conformidade com a Palavra do Novo Testamento, onde todos os irmãos são iguais, não há comércio da Palavra de Deus, somente o Senhor Jesus Cristo é o Sumo Pastor, e todos os atos da igreja são direcionados pelo Espírito Santo. Não há falsidade, os irmãos são compromissados com a Verdade, e o amor fraternal envolve a congregação.

Mas o que há de mais gratificante em tudo isso, é a certeza que servimos a um Deus vivo que amou o homem mesmo estando esse morto na maldição do pecado, e enviou o Seu único Filho a morrer em sacrifício vivo, para que todo aquele que nEle crê, não pereça, mas tenha a vida eterna.

Aspecto negativo não há, visto que, quando guardamos os mandamentos do Senhor e andando na Verdade, não haverá reprovação. E ao lado do Senhor Jesus no barco, é impossível que venha a ocorrer naufrágio;

Não precisamos ter uma vida espiritual sujeita a homens como é imposta nas igrejas evangélicas; inclusive, temos liberdade de gerenciar nossas dádivas (ofertas e dízimos), não fomos chamados para enriquecer a homens, mas para o auxílio aos pobres e necessitados, ainda que nosso trabalho não seja visto, mas, temos plena convicção que, nossos recursos chegam a quem realmente precisa.



Deus seja louvado e o Seu Amado Filho Glorificado.





Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses de Sua Igreja.

.

outubro 22, 2010

É sempre necessário dinheiro para fazer missões, como dizem os evangélicos??!!

.

"E, indo, pregai, dizendo: É chegado o reino dos céus.
Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai.
Não possuais ouro, nem prata, nem cobre, em vossos cintos,
Nem alforjes para o caminho, nem duas túnicas, nem alparcas, nem bordão; porque digno é o operário do seu alimento
" [Mateus 10].





.

outubro 16, 2010

Existe “líder” (homem) no meio do povo de Deus??

Biblicamente falando, não!!

Deus não chama aos homens para estarem sob outros...

Mas, há um chamado divino para alguns que, com amor, dedicam suas vidas no auxílio a outros...

Deus tem chamado homens que, sentem em seus corações a necessidade de serem ferramentas de amor!!

Não há em definitivo, nenhum relato bíblico para a Igreja, que traga ensinamentos de que alguns serão lideres ou que sejam liderança, nenhum dos apóstolos de Cristo transmitiu uma doutrina que falasse de que homens sejam “líder”...

Antes, Pedro enfaticamente falou ao contrário do que os pastores modernos querem se atribuir, em serem liderança, porque, o apóstolo de Cristo, divinamente inspirado, disse que aquele que quer ser pastor, deve apascentar o rebanho de Deus, ter cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho [1Pedro 5]...

Mas, uma das passagens bíblicas mais usada para fomentar e tentar calar aqueles que não se dobram diante dos homens, está em Hebreus [13.17], que os “pastores” usam com frequência e infelizmente, seus súditos se prostram: “Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil”...

Porém, o autor de Hebreus não está insinuando a que se deve prostrar e obedecer a homens, por que aqueles que têm o dom ministerial de apascentar, ou pastorear, buscam ter entendimento da Palavra de Deus, para ensinar e cuidar dos outros, portanto, merecem nosso respeito, e devemos nos sujeitar a eles, mas não como em obediência a eles, mas, ao ensinamento que eles transmitem da parte de Deus, portanto, nos sujeitar aos pastores, tão somente se refere a obedecermos ao que Deus nos tem ensinado através deles!!

Ainda em Hebreus [13.7], nos orienta a lembra dos pastores, mas, os “que vos falaram a Palavra de Deus”, pois quê, resumi-se em verdade que, novamente digo, nosso respeito e sujeição não é ao irmão que pastoreia, mas, sim, a Palavra de Deus que ele anuncia e nos ensina sobre a fé através de sua maneira de viver!!!

É necessário estarmos cientes da Palavra de Deus quanto ao que os pastores nos falam, pois, Pedro e os apóstolos disseram em Atos [5.29], que mais "importa obedecer a Deus do que aos homens"!!!


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses de Sua Igreja.
.

outubro 13, 2010

Conhecendo da Igreja Local...

Estivemos a pouco tempo (com nosso irmão Luis Paulo), em torno de uma discussão saudável, firmada na fraternidade entre irmãos (perguntas e respostas) e em especial, alertando sobre a necessidade da Igreja Local, a união de todos aqueles que professam o nome do Cordeiro sobre a face da terra, independente do local [Mateus 18.20] para o qual ela (reunião de irmãos em Cristo) está reunida [1Timóteo 3.15];

E importante lembramos com relação as interpretações, que muitas das coisas que encontramos, é de cunho humano, por isso, nos ensina a sã doutrina bíblica que é necessário confrontar tudo o que encontramos com as Sagradas Escrituras; lembremos dos irmãos de Beréia [Atos 17.11];

Nossa geração necessita se permitir em entender através dos ensinamentos de Cristo, o quão é importante SER Igreja, e não como as instituições religiosas estão ensinando, em IR a igreja...

... isto é uma grande, uma enorme diferença!

Há um abismo entre o SER Igreja ensinado por Cristo e o IR a igreja ensinado pelos homens!!

O irmão Luis afirma que antes só conhecia a "Igreja Local" de Witness Lee (e como diz: o que acaba sendo mais uma denominação, pois é uma organização religiosa como qualquer outra); depois buscando na internet, por um acaso, encontrou um site (www.estudosdabiblia.net) onde um irmão por nome Dennis Allan traz muitos estudos interessantes que o ajudaram muito, e embora ele defenda a idéia de igrejas locais, não tem nenhuma ligação com os ensinamentos de Witness, e também um outro irmão do site "o que respondi" e este último também defende a idéia de igrejas locais sem vínculo com Witnnes Lee.

E assim, questiona:

(1) Qual é a impressão que o irmão tem deles? Pergunto isto, por que me parece que há uma certa divergência, por exemplo, o Dennis Allan crê que não haverá milênio nem grande tribulação após o arrebatamento e não que nos dons espirituais operando nos nossos dias, o que é diferente do site "o que respondi".

jesusomaioramor - É sempre necessário buscarmos conhecimento bíblico, e a internet é uma ótima ferramenta neste sentido (mas, devemos ser cautelosos), sempre nos respaldando na Palavra de Deus que nos exorta a examinarmos tudo, retendo o bem [1Tessalonicenses 5.21];

Porém, são imprescindíveis termos consciência de que o entendimento da vontade e Palavra de Deus, é somente pela ação do Espírito Santo [1João 2.27], portanto, devemos buscar de Deus o entendimento, sempre em orações, jejuns e meditando e estudando as Sagradas Escrituras;

(2) As convicções divergentes de interpretação da Palavra de Deus não acaba gerando uma certa divisão no Corpo?

jesusomaioramor - As divergências em torno da Palavra de Deus sempre irão existir entre os homens, em relatos bíblicos encontramos várias, mas, é necessário que tenhamos uma vida pautada nos ensinamentos de Jesus através da mansidão, humildade, assim, evitaremos confrontos que podem trazer contendas, mas, a discussão (salutar, com ética, respeito) em torno da Palavra de Deus é necessária para haver edificação, pois, com elas, é trago ensinamentos aos irmãos que tem menos capacidade de entendimento;

Quando nos permitimos na nossa troca de conhecimento bíblico, sempre respaldado na Palavra de Deus, evitaremos as divergências mais sérias;

Quanto a divisão do corpo de Cristo, entendo que há sim, porém, devido as doutrinas existentes das denominações, pois, cada qual tem a sua... e nesta visão, radicalmente, defendo a extinção das “instituições religiosas com nome de igreja”;

(3) Existem pastores, presbíteros, nestas igrejas locais?

jesusomaioramor - Quando meditamos nos ensinamentos divinos, encontramos em Efésios 4.11 e 1Coríntios 12, relatos de que Deus deu aos homens “dons ministeriais”, para o aperfeiçoamento e edificação do corpo de Cristo; estes dons não podem ser atribuídos como “cargos” (isto encontramos, e muito, nas denominações), mas, sabemos que na obra de Deus, cada qual tem o seu chamado, e isto é aplicado na Igreja Local, onde a própria reunião dos irmãos separa aqueles pelos quais o Espírito Santo é manifestado para o que for útil [por exemplo, Atos 6.1-7]...

Podemos notar que alguns irmãos têm dons diferenciados uns aos outros [1Coríntios 12.7], um é exemplo para pregar, outro para ensinar, há irmãos que melhor evangelizam e fazem visitas, outros na administração das reuniões, enfim, tudo deve ser feito para o bom desenvolvimento da obra de Deus, o congregar dos irmãos deve ser desimpedido da soberba e orgulho humano...

Nosso chamado divino é para servir ao nosso próximo, e não para ser servido como ocorre com os intitulados “pastores” nas denominações...

(4) Existe ordenamento, ou algo assim?

jesusomaioramor - As consagrações ou ordenações, geralmente ocorrem nas denominações com maior ênfase, existe uma festividade em torno disto, como destaque, geralmente manipulado pelo pastor ao seu favorecimento, uma espécie de moeda de barganha que o pastor usa para manipular aqueles que lhe estão mais perto, ou os que entregam maiores dízimos ou ofertas aos cofres religiosos...

Na Igreja Local, os irmãos, quando tendo entendimento de que o importante é a obra de Deus, não se preocupam com este ou aquele detalhe de nomenclatura (como pastor, presbítero), pois, para os verdadeiros adoradores, somente há um Pastor, Jesus Cristo, somos todos conservos uns aos outros, servimo-nos, uns aos outros... somos todos sacerdotes do Altíssimo [1Pedro 2.5];

(5) Vocês consideram irmãos em Cristo salvos aqueles que congregam em igrejas denominacionais?

jesusomaioramor - É certo que sim, nas denominações há vários irmãos em Cristo que não se deixam contaminar com as doutrinas denominacionais, existem vários irmãos que se preocupam com o próximo, que adoram ao Senhor em espírito e em verdade, que não dobram o joelho diante os homens.

(6) Como são realizados a santa ceia e o batismo neste modelo de igreja no qual o irmão congrega?

jesusomaioramor - É necessário entendermos que, na Ceia o importante é o porquê da celebração e não quem parte e distribui o pão e o vinho; como também, não é quem batiza ou quem é batizado que importa, mas o batismo em si e em nome de quem e com que autoridade;

Ceia

Fazei isto em memória de mim” [Lucas 22.19]. A Ceia é nossa oportunidade para lembrar o sacrifício que Jesus fez na cruz, pelo qual Ele nos oferece a esperança da vida eterna;

A Ceia é entendida como um ato de comunhão com o Senhor [1Coríntios 10.14-22];

Portanto, quando nos reunimos para a Ceia, nos reunimos em torno do Senhor Jesus, assim, partimos o pão, e tomamos o cálice do Senhor;

Batismo

Seria somente os “pastores” (denominacionais), os designados a promover o batismo??

Não!! Em ordenança, estabelecida em Mateus 28 [vs.19], Jesus em Sua graça, nos ordena (a todos) a Grande Missão, ir, ensinando todas as gentes, batizando-as, e notadamente não classificou quem em especial é que deveria proceder, mas que houvesse o batismo.

Recorrendo as Sagradas Escrituras, de acordo com os que patrocinam a exclusividade de pastores denominacionais, estes serão confrontados de que a todos é a incumbência do batismo, e não que recai somente aos “pastores”, pois quê, pela graça de Deus somos todos feitos sumo sacerdotes [1Pedro 2.9; Apocalipse 1.6; 5.10]!

O correto biblicamente falando, é que a todos quantos se fazem discípulos de Jesus e O seguem, lhes diz que, indo, pregando, batizem, para todos!!

Outrossim, um outro relato bíblico que não dá exclusividade aos “pastores” (denominacionais), é Atos 8 [vs. 8-40], onde Filipe, que não era pastor, batizou ao eunuco que creu que Jesus Cristo é o Filho de Deus!

(7) Compreendemos que a obediência ao pastor se limita ao que a Palavra autoriza, isto é, enquanto os ensinamentos dados pelo pastor estiverem em acordo com a Bíblia.

No livro de Apocalipse, o Senhor Jesus manda orientações aos anjos das igrejas, o que se refere aos líderes destas igrejas, correto? Entende-se portanto que cada igreja deve ter um líder, para que venha orientar os irmãos e que também é responsável por eles diante de Deus o que chama-se de pastor, conforme o texto abaixo:

Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil. [Hebreus 13.17]

Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver. [Hebreus 13.7]

Como isto é praticado nas igrejas locais? Existe em cada igreja um responsável como na igreja primitiva? Existe alguém que sirva como referencial, e que possa intervir caso haja algum tipo de problema na igreja entre os membros, enfim, que exerça liderança sobre a igreja local?

jesusomaioramor - Reportando-nos a resposta do item 3:

"Podemos notar que alguns irmãos têm dons diferenciados uns aos outros [1Coríntios 12.7], um é exemplo para pregar, outro para ensinar, há irmãos que melhor evangelizam e fazem visitas, outros na administração das reuniões, enfim, tudo deve ser feito para o bom desenvolvimento da obra de Deus, o congregar dos irmãos deve ser desimpedido da soberba e orgulho humano..."

... assim, nas Igrejas Locais, haverão irmãos com dom ministerial que se dedicarão aos demais membros no sentido daquilo que Pedro (1Pedro 5) diz:

- para apascentar “o rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho”, assim, não encontramos irmãos em liderança na Igreja Local, mas, irmãos dispostos a cuidar e amar aos irmãos como se deles prestasse contas, porque isto??

Por que os irmãos que tem o dom ministerial de apascentar, ou pastorear, buscam ter entendimento da Palavra de Deus, para ensinar e cuidar dos outros, portanto, merecem nosso respeito, e devemos nos sujeitar a eles, mas não como em obediência a eles, mas, ao ensinamento que eles transmitem da parte de Deus, portanto, nos sujeitar a eles refere-se a obedecermos ao que Deus nos tem ensinado através deles!!

Note ainda Hebreus 13.7, “que vos falaram a Palavra de Deus”, pois quê, resumi-se em verdade que, novamente digo, nosso respeito e sujeição não é ao irmão que pastoreia, mas, sim, a Palavra de Deus que ele anuncia e nos ensina sobre a fé!!!

Quanto aos problemas entre irmãos, parece-me que isto somente ocorre em grande concentrações, onde os membros pouco se conhecem!!!

(8) O que a Bíblia dá a entender é que no NT a igreja de Cristo (membros do corpo) se reunia em lugares mais amplos, conforme o crescimento, e que também se reunia nas casas. Existiam também lugares chamados "igreja", veja: Porque antes de tudo ouço que, quando vos ajuntais na igreja, há entre vós dissensões; e em parte o creio [1 Coríntios 11.18];

Neste texto vemos a Igreja (membros do corpo) indo à igreja (um lugar específico onde se reuniam), o que está de acordo com o texto que segue o anterior: “Não tendes porventura casas para comer e para beber? Ou desprezais a igreja de Deus, e envergonhais os que nada têm? Que vos direi? Louvar-vos-ei? Nisto não vos louvo. [1Coríntios 11.22];

Fica claro que a Igreja não se reunia somente em casas, mas em lugares que suportassem uma quantidade maior, de forma que na realização da Ceia, eles deixavam suas casas e iam a igreja onde se ajuntavam [1Coríntios 11.18];.

Qual é a sua visão sobre isto? A Igreja deve se reunir somente em casas, ou pode fazê-lo em lugares mais amplos?

jesusomaioramor - Temos em verdade, relatos bíblicos de locais mais amplos onde as pessoas se reuniam, mas, com relação a estes locais, note que a igreja de Corinto era de grande porte, portanto, é bem claro que não se reunia somente em casas “e iam a igreja onde se ajuntavam”, mas ocorria o que nestes ajuntamentos??

Como há relatos destes amplos locais, também há relatos de que ocorria neles várias contendas, dissensões, desprezos:

1.11 – “Porque a respeito de vós, irmãos meus, me foi comunicado pelos da família de Cloé que há contendas entre vós.”

2.5 – “Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus.”

5.1 – “Geralmente se ouve que há entre vós fornicação, e fornicação tal, que nem ainda entre os gentios se nomeia, como é haver quem abuse da mulher de seu pai.

11.17,18 – “Nisto, porém, que vou dizer-vos não vos louvo; porquanto vos ajuntais, não para melhor, senão para pior. Nisto, porém, que vou dizer-vos não vos louvo; porquanto vos ajuntais, não para melhor, senão para pior.”

E com relação a igreja de Laodicéia, uma igreja rica materialmente, havia soberba, desprezo quanto a ação do Espírito Santo:

3.17 – “Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta;”

Como podemos notar, a soberba, a prepotência, o desprezo por irmãos menos favorecidos, sempre estarão rondando os arraiais de grande porte de reunião daqueles que se dizem ser povo de Deus, e em especial, em nosso tempo presente, onde o materialismo é mais presente (apesar de ser o objetivo em toda a história da humanidade)...

... por isso que, entendo ser as Igrejas Locais (ou com número mais reduzido de membros), um melhor e mais favorável ambiente para a comunhão, pois, quando estamos em menor número, maior será nossa aproximação aos irmãos...

... além de que, um local mais amplo acarretará tão somente em maiores despesas, mais gastos, e em especial, menor o convívio entre os irmãos (deixando de momento de testemunhar e afirmar da exploração da fé alheia que existe na grande maioria das igrejas templos); conheço igrejas templos onde supera os 1.000, 4.000 membros, assim, como todos poderão se conhecer dentro de um mesmo local?? Impossível!!!

Lembrando-nos que Jesus deu um ensinamento de que nossas dádivas devem ser para auxiliar aos pobres e necessitados [Mateus 19.16-23; 25.31-46]; e quantas pessoas poderiam ser assistidas se todos os gastos com estes suntuosos e luxuosos templos evangélicos (e tantos outros) fossem direcionados a elas, os menos favorecidos??

Por isso que, permaneço firme no entendimento da Igreja Local, tal qual encontramo-la em Atos dos Apóstolos:

E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações. E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum. E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister. E, perseverando unânimes todos os dias no templo (este é o templo em Jerusalém, onde os discípulos iam para transmitir os ensinamento de Jesus, nada tem de referências com os templos religiosos chamados de “igrejas”), e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração.

Enfim, rogamos a Deus que o Espírito Santo possa conferir em vossos corações o entendimento de SER igreja, para que, em amor fraternal, possam testemunhar em verdade da comunhão entre os irmãos para adorar a Deus, em espírito e em verdade [João 4.23,24], independente do local e da quantidade...

... disse Jesus em Mateus: “Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles”...

... e alertou a mulher samaritana que independe o local da adoração: “Mulher, crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai” [João 4]...


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses de Sua Igreja.
.

outubro 07, 2010

Congregar não é ajuntamento, mas, é estar em Cristo!

.
A humanidade, desde os primórdios, sempre, através de homens que se intitulam “líderes”, formou-se como massa de manobra, seguindo ambiciosos, quer políticos, quer religiosos;

E, infelizmente, muitos são os grupos, que independente de causas, e sem fundamento nas motivações, vivem em torno deste ou daquele...

A história bíblica, nos mostra que, houve homens que ambicionavam coisas além daquilo que propriamente seriam merecedores, um destes casos, é Corá [Números 16], que mesmo o Deus de Israel o tenha separado da congregação de Israel, para o fazer chegar a Si, e administrar o ministério do tabernáculo do SENHOR e estar perante a congregação para ministrar-lhe, mesmo assim, ainda procurava o sacerdócio...

... e, não bastando Corá assim pensar, levantou com duzentos e cinquenta homens e congregaram contra Moisés e Arão (mas, o fim destes, é trágico, pois, Deus não se deixa escarnecer).

Esta é a índole da humanidade, seguir este ou aquele homem, por razões muitas das vezes, nada ortodoxas, porém, como seguidores cegos, tendo suas mentes cauterizadas por qualquer tipo de ensinamento, em especial, os religiosos, bastam palavras jogadas ao vento mostrando alguma intelectualidade mesclada com versos bíblicos, pronto, e o orador já se tornou o pregador das multidões...

Alguns têm deturpado a Palavra de Deus, e apoderando-se sobre o rebanho do Senhor, com palavras de ordem, chamando a si e dizendo ter recebido de Deus uma “autoridade eclesiástica”, introduzem no meio do povo, a obrigatoriedade de que a reunião entre os irmãos em comunhão, ou o congregar em comunhão, sempre será feita dentro de uma instituição religiosa com nome de igreja, porém, a Palavra de Deus pelo ensinamento de Cristo, nunca foi neste sentido, portanto, quem assim afirma, não diz a verdade...

Pois que, a verdade acerca da Palavra de Deus, quanto ao “congregar”, está relacionada ao convívio de irmãos em torno do Senhor Jesus;

Estaremos congregando, tão somente se, estivermos reunidos em Cristo, independente de outorga de quem quer que seja, com ou sem um pregador famoso, com ou sem um pastor, em qualquer lugar, na rua, na praça, no templo, no lar;

E, por certo, e em verdade, somente estaremos congregando, estando Jesus Cristo presente, pois, estas são Suas palavras: “Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles” [Mateus 18.20].


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses de Sua Igreja.
.

outubro 05, 2010

SANTIDADE MÓRBIDA

.
Há alguns anos, somos testemunhas do muito que se apresenta nos púlpitos, ou palanques, ou palcos evangélicos, onde alguém trajando vestimenta executiva, profere palavras, as vezes de ordem, outras, aquelas que-muitos-querem-ouvir...

Vezes por outra, desfilam certa santidade que, incontestável, somente trazem certo alivio momentâneo as almas cansadas, mas que, no retorno de volta em seus lares, desaparecem...

Muito nos tem ensinado o Santo Espírito a que sigamos a paz para com todos a nossa volta, no intuito a que, buscando também a santificação, há de se contemplar a glória do Senhor!

Entretanto, neste pequeno substantivo feminino, paz, onde há ausência de lutas, violências, ou conflitos entre pessoas, encontramos na grande maioria no meio, pelos que, dizendo-se ser povo de Deus, falta de sossego, desunião, ausência de serenidade, intranquilidade de alma!

Por consequência, falta santidade!

Neste sentido, quando se adentra há alguns templos, a situação torna-se caótica, milhares travestidos de santos, cantarolando musicas em letras religiosas, numa perca frenética de um tempo gasto na busca a coisas materiais futuras, muitos trocando suas próprias personalidades...

... porém, quando se está do lado de fora destes mausoléus religiosos evangélicos, a situação de cada indivíduo toma outra direção: invejas, ódios, desconfianças, iras, ciúmes...

... pisam por cima de quem quer que seja no intuito de promoção pessoal, título episcopal, ou posição de destaque...

... há certa santidade divulgada, atrelada a padrões religiosos, proibições, isto-pode-aquilo-não, passam-se por cima da Palavra de Deus, com imposições, criação de maldições, fixação de percentuais do quando cada qual deva ofertar ou contribuir, maneiras, doutrinas humanas!

Sejamos como o Senhor nos tem chamado, crentes, movimentos a parte (Pentecostal? Calvinista? Luterano? Evangélico?), mas, a Palavra de Deus é soberana, pois, também assim pensavam outrora:

Porque a respeito de vós, irmãos meus, me foi comunicado... que há contendas entre vós... cada um de vós diz: Eu sou de Paulo, e eu de Apolo, e eu de Cefas, e eu de Cristo. Está Cristo dividido? foi Paulo crucificado por vós? ou fostes vós batizados em nome de Paulo?

Assim, aos coríntios, nosso amado irmão Paulo, escreveu em meados dos anos 55 ou 56, por certo aquela localidade em particular já se carregava em contendas, em dissensões, ajuntavam não para melhor, mas para pior, e muitas heresias.

O que diremos, pois, de nosso tempo presente??

Seria esta a santidade que nosso Amado Senhor nos requer??

Estaríamos perdendo tempo pela maneira santa que nos apresentamos??


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses de Sua Igreja.
.

outubro 02, 2010

Igreja local

.
Temos encontrado muitas doutrinas, correntes teológicas (reformada, pentecostal, da prosperidade, liberal, gnóstica, etc), filosofias que, em muitas das circunstâncias distanciam a verdade bíblica daquilo que seja concernente a vontade de Deus, a qual é, em amor, a comunhão entre irmãos e a reunião em torno do nome de nosso Senhor Jesus Cristo.

A Palavra de Deus, proclama quanto a “Igreja” e nos afirma que, ela é a união de todos aqueles que professam o nome do Cordeiro sobre a face da terra, independente do local [Mateus 18.20] para o qual ela (reunião de irmãos em Cristo) está reunida [1Timóteo 3.15].

Devemos, em humildade, ter a mente de Cristo [1Coríntios 2.16], e no entendimento que somos o “corpo de Cristo” [1Coríntios 12.27], membros de uns aos outros, onde não há este ou aquele que deve estar em destaque, mas que, cada qual tem seu propósito para o qual foi chamado na obra de Deus [1Coríntios 12.11].

Não há possibilidades de termos vínculos somente em um local específico, mas, tão somente, levando o evangelho de salvação a todas as gentes, buscando sempre a necessidade de não desampararmos aos que são nossos ouvintes, retornando, sempre que possível com visitas aos seus lares [Atos 5.42];

Muitos têm deflagrado a obrigatoriedade da construção de “templos” e da manutenção destes e sustento de homens em cargos exclusivos, mas não encontramos na Palavra nenhum respaldo bíblico para isto; não encontramos nenhum relato dos apóstolos neste sentido; entretanto, sabemos da necessidade da comunhão entre irmãos, da necessidade de locais para cultos [Atos 16.13]...

... então, porque não ser nossos lares, onde reunimos nossas famílias e a de nossos irmãos e vizinhos, em torno da exposição da Palavra de Deus, na união em louvores ao Criador [1Coríntios 14.26], tornando por certeza, uma igreja local??

Portanto, a igreja local, não se divide em repartições, ministérios, lideranças, setores ou gabinetes, mas, a igreja local é determinada em uma só localidade, ou, limitada aos vizinhos (irmãos em Cristo) de um mesmo bairro, onde muitos chamados pela ação do Espírito Santo, estão para servirem a outros irmãos, através de dons espirituais [Efésios 4.11; Atos 6.1-3; 1Timóteo 3.1-13], nunca como senhores eclesiásticos e na divulgação de cargos religiosos, mas, por aqueles que almejam fazer a obra de Deus, com humildade no servir, no desejo da propagação do Reino de Deus.

Muito embora, saibamos que, o número de almas que são acrescentadas pelo SENHOR aos que serão salvos, e, por conseguinte, o crescimento em número de membros da igreja local [Atos 2.47], poderá acarretar na necessidade de um local de maior concentração, porém, não é aconselhável nos direcionar ao aluguel ou construção de locais maiores com a contribuição de irmãos, pois, o ensinamento de Cristo e dos apóstolos é no sentido de que estas contribuições da igreja local [Mateus 19.16-30; 1Coríntios 16.1,2; 2Coríntios 8; 9.6-11], sejam para os pobres e necessitados; assim, necessário se faz a proliferação de outras igreja locais e no crescente número de discípulos;

Por certo, e bíblico, nossa união é em torno do Senhor Jesus Cristo, Autor e Consumador de nossa fé [Hebreus 12.2], elevando a Deus nossa gratidão [Colossenses 4.2] e tudo quanto fizermos sejam para honra, para glória e para louvor dAquele que em tudo excede a plenitude da sabedoria, reunindo-nos como Igreja, independente do local, porém, nos libertando de regras, dogmas, filosofias, teologias, vínculos religiosos...

... abrindo sempre que possível, locais de culto, em lares, para adoração a Deus, ensino e exposição das Sagradas Escrituras, por que, onde estiverem dois ou três reunidos em nome do Senhor Jesus, aí é uma igreja local!!!


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses de Sua Igreja.
.