Adoradores...

Contexto SAGRADAS ESCRITURAS, 21.mar.2017, Mateus 18

Porque o FILHO do homem veio salvar o que se tinha perdido.
[Lucas 19.10,56; Mateus 9.12-13; 10.6; 15.24]
Que vos parece? Se algum homem tiver cem ovelhas, e uma delas se desgarrar, não irá pelos montes, deixando as noventa e nove, em busca da que se desgarrou?
[Lucas 15.4-7; Ezequiel 34.12; Mateus 21.28; 1Reis 21.17]
E, se porventura a acha, em verdade vos digo que maior prazer tem por aquela, do que pelas noventa e nove que se não desgarraram.
[Salmos 147.11; Isaías 53.11; 62.5; Jeremias 32.37-41]
Assim também não é a vontade de vosso PAI, que está nos céus, que um destes pequeninos se perca.
[João 17.12; Isaías 40.11; Zacarias 13.7; Mateus 5.16]

[036400]

novembro 03, 2010

Tolerância, liberdade e amor

.
Frequentes são as dúvidas em torno daquilo que podemos ou não praticar diante o ensinamento do evangelho de Cristo, da Palavra de Deus, ou como somos criticados pelo testemunho que trazemos de Cristo em nossas vidas por nossos atos e ações.

Porém, não podemos entrar em contendas sobre dúvidas; porque um crê que de tudo é lícito sabendo que nem tudo convêm, e outro, que tudo não convêm...

Mas, não se pode desprezar ao que tudo é lícito; e o que crê que tudo não convêm, não julgue a outrem; porque Deus o recebeu por Seu.

Quem somos, que julgamos o servo alheio? Para seu próprio senhor ele está em pé ou cai. Mas estará firme, porque poderoso é Deus para o firmar!

Precisamos estar inteiramente seguros em nossa própria mente; porque nenhum de nós vive para si, e nenhum morre para si; porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. De sorte que, ou vivamos ou morramos, somos do Senhor. Porque foi para isto que morreu Cristo, e ressurgiu, e tornou a viver, para ser Senhor!

Pois, todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo [2Coríntios 5.10], de maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus.

Assim que não nos julguemos mais uns aos outros; mas, é para proveito, nós como servos de Deus, julgar os atos de nossos irmãos ou das pessoas segundo a Palavra de Deus, pois está escrito: “Não julgueis segundo a aparência; mas julgai segundo a reta justiça” [João 7.24]; claro que esse julgamento não é para condenar ninguém, mas sim para a prevalência da Verdade do evangelho, sabendo que, o nosso propósito não seja pôr tropeço ou escândalo a quem quer que seja.

Estejamos certos no Senhor Jesus, que nenhuma coisa é de si mesma imunda, a não ser para aquele que a tem por imunda. Mas, se por causa daquilo que se crê que é lícito e que nem tudo convêm se contrista teu irmão, já não andas conforme o amor. Não destruas por causa da tua consciência aquele por quem Cristo morreu. Não seja, pois, blasfemado o vosso bem.

Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo. Porque quem nisto serve a Cristo agradável é a Deus e aceito aos homens” [Romanos 14.17,18].

Sigamos as coisas que servem para a paz e para a edificação, não destruindo por causa daquilo que se crê a obra de Deus; verdade é que tudo é limpo, mas mal vai para o homem que faz as coisas por escândalo; nem fazer outras coisas em que alguém tropece, ou se escandalize, ou se enfraqueça.

Tenhamos fé em nós mesmos diante de Deus; bem-aventurado aquele que não se condena a si mesmo naquilo que aprova; mas aquele que tem dúvidas, está condenado, porque não tem fé; e tudo o que não é de fé é pecado!!


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses de Sua Igreja.
.

Nenhum comentário: