Adoradores...

março 09, 2013

A importância do templo para o desigrejado

[21855]

   O significado que devemos ter do templo, a sua importância, em o Novo Testamento, que abrange após a crucificação e ressurreição de nosso Senhor e Salvador, dever-se-á ser considerada no contexto do que o templo simbolizava no Antigo Testamento (até a crucificação de CRISTO).

Em muitos contextos bíblicos, através dos profetas e até do próprio Senhor JESUS, foi à censura ao uso indevido do templo [João 2.13-17; Mateus 21.12,13; Mateus 24.1,2; Marcos 13.1,2; Lucas 21.5,6];

Muito embora, o contexto de Atos 2.46 afirmarem que os discípulos iam ao templo, é imprescindível crer que eles não entravam dentro daquele, e sim, ficavam nas partes externas ensinando a doutrina de CRISTO; aliás, por sinal, nem os próprios judeus, seguidores do judaísmo entravam!

O contexto do Antigo Testamento dava ênfase de que o templo de Jerusalém era a morada, a “casa” do SENHOR, o único lugar legítimo onde todos os judeus (israelitas) deveriam oferecer seus sacrifícios e holocaustos, e certamente davam os dízimos de todo o fruto da sua semente, que cada ano se recolhia do campo.

E, perante o SENHOR, no templo de Jerusalém, comiam os dízimos do grão, do mosto e do azeite, e os primogênitos das vacas e das ovelhas; e assim aprendiam a temer ao SENHOR todos os dias.

E quando o caminho era tão comprido que os não podiam levar, por estar longe deles o templo; então vendia-os, e atando o dinheiro na mão, iam ao templo; e aquele dinheiro davam por tudo o que deseja a alma, por vacas, e por ovelhas, e por vinho, e por bebida forte, e por tudo o que pedia alma; come-o ali perante o SENHOR, e alegravam-se, eles e as suas casas;

Porém não desamparavam o levita que estava dentro das portas; pois, não tinham parte nem herança com os israelitas.

Ao fim de três anos tiravam todos os dízimos da colheita no mesmo ano, e os recolhiam dentro das suas portas;

Então vinham o levita (pois nem parte nem herança tem com eles), e o estrangeiro, e o órfão, e a viúva, que estão dentro das portas, e comiam, e fartar-se-iam; para que o SENHOR os abençoava em toda a obra que as suas mãos fizessem [Deuteronômio 14].

Entretanto, o próprio Senhor JESUS afirmou que aquele templo (a “casa” do SENHOR, símbolo da presença de DEUS entre o seu povo) seria derribado e não ficaria pedra sobre pedra [Lucas 21; Marcos 13];

A crucificação, morte e ressurreição de CRISTO deu ênfase de que os cultos de adoração a DEUS transferiu-se do templo para o próprio Senhor JESUS CRISTO;

É ELE, CRISTO, e não o templo, quem agora representa a presença de DEUS entre o Seu povo (Israel e gentios);

ELE é o Verbo de DEUS que se fez carne [João 1], e nELE habita toda a plenitude de DEUS [Colossenses 2];

O próprio JESUS declara ser ELE o mais adequado templo [João 2]; mediante o Seu sacrifício na cruz, ELE cumpriu todos os sacríficos que eram oferecidos no templo [Hebreus 9.1; 10.18];

JESUS em Sua fala à mulher samaritana, declarou que a adoração “dentre em breve” (após Sua ressurreição) seria realizada não num prédio específico, mas “em espírito e em verdade”, onde as pessoas verdadeiramente cressem na verdade da Palavra de DEUS e recebessem o ESPÍRITO de DEUS por meio de CRISTO e não por que estarem num lugar para adoração.

E é por certo que, como os pastores evangélicos recolhem dízimos e ofertas, deveriam, se tivessem temor e honra a DEUS, enviar tudo quanto recebem ao templo (ou muro) de Jerusalém, afinal, ele representava a presença de DEUS no meio de Seu povo!!!


Porque dEle e por ELE, e para ELE, são todas as coisas; glória pois, a DEUS eternamente;
Nos interesses da Igreja que CRISTO edificou. Amém.


Este texto corrobora com MIDIA GOSPEL

.

Nenhum comentário: