Adoradores...

janeiro 12, 2013

Dízimos, azorrague satânico

[21045]

Qual o fundamento pelo entendimento bíblico em afirmar que os dízimos são o flagelo de satanás?
Simples! É exprobrar o ensino das “igrejas” quanto aos infelizes evangélicos em terem de contribuir para os mercenários religiosos [pastores, bispos, missionários, apóstolo, padres, reverendos e a cia religiosa eclesiástica] a título avarento de serem fiéis a Deus e obedientes a esquizofrênica instituição religiosa.

Porquanto, os dizimistas se tornam flagelados, mártires da manutenção obstinada dos lugares apelidados de “igrejas”, que são obras de homens e que contrapõem ao ensinamento de Cristo.

Ora, as instituições religiosas com placas de igrejas tornaram-se verdadeiros impérios financeiros, logomarcas do poder de persuasão sobre a fé alheia, imponentes e suntuosos templos mistificados em santuários no único fim de locupletar e na fraude do uso indevido da Palavra de Deus em usurpar de pessoas simples e de até intelectuais com Bíblias as mãos que se perdem no conhecimento exacerbado do fundamentalismo e legalismo.

É necessário evitar em cair no legalismo, no erro em irmos à contra mão da Palavra de Deus, e para isto, façamos das palavras do apóstolo João, o limiar de nossas vidas, constituindo um limite ao engano dizimista, e assim asseverarmos:

E todos nós recebemos também da sua plenitude, e graça por graça. Porque a lei foi dada por Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo.” [João 1]

Os dizimistas, pelo legalismo, acometem o erro de exigir que todos devem aderir a suas inadequadas interpretações bíblicas e as suas tradições religiosas;

É triste dizer que a grande maioria evangélica exclui de seu convívio, de forma agressiva, a todos quanto se expressam diferente de suas opiniões, recriminam os que não trilham a via pela qual os fatos ou os dogmas são transmitidos pelas suas gerações sem prova autêntica da veracidade de suas tradições; não aceitam os que não querem frequentar suas instituições religiosas apelidadas de “igrejas”;

Enfim, aquele que se expressa (barganha) a Deus através do dinheiro no âmbito de almejar impossíveis bênçãos materiais, está diretamente renegando a vida eterna, torna-se, porquanto, adorar a Mamom, faz-se discípulo de satanás, afinal, é o próprio que prometeu todas as glórias de reinos ao Filho de Deus se lhe prostrasse, e assim o faz com quem busca as glórias desta vida pela barganha religiosa [“Novamente o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles. E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares”, Mateus 4].


Porque dEle e por Ele, e para Ele, são todas as coisas; glória, pois, a Deus eternamente;
Nos interesses da Igreja que Cristo edificou. Amém.

Azorrague
1 Açoite de várias correias ou cordas.
2 Látego ou chicote de couro.
3 [Figurado] Flagelo.
Exprobrar |eis|
1 Lançar em rosto.
2 Censurar (diretamente).
3 Vituperar.

.

Nenhum comentário: