Adoradores...

Contexto SAGRADAS ESCRITURAS, 10.jul.2017, Mateus 5

EU, porém vos digo: Amai a vossos inimigos, bem-dizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; [Lucas 23.34; 6.27-28; Atos 7.60; Romanos 12.14; 1Pedro 3.9; Salmos 7.4]
Para que sejais filhos do vosso PAI que está nos céus; porque faz que o Seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos. [Lucas 6.35; Atos 14.17; Mateus 5.9; Jó 25.3; Salmos 145.9]
Pois, se amardes os que vos amam, que galardão havereis? Não fazem os publicanos também o mesmo? [Lucas 6.32-35; Mateus 6.1; 9.10-11; 11.19; 18.17]
E, se saudares unicamente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os publicanos também assim? [Mateus 5.20; Lucas 6.32; 10.4-5; 1Pedro 2.20]
Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso PAI que está nos céus. [Levítico 19.2; Colossenses 1.28; Gênesis 17.1; Deuteronômio 18.13; Lucas 6.36]

[037478]

maio 02, 2010

O engano dos incitadores ao pagamento de dízimos...

.
Por certo que, irá aparecer os espertalhões das cobranças e dizerem que somente falamos de dinheiro, mas, é em função de seus ensinamentos avarentos que sempre estamos trazendo estas discussões, levantando um alerta ao povo que financia e mantêm ministérios e ministros! (Outrossim, nesta lauda textual, são mencionados capítulos de textos bíblicos, para nenhum espertalhão dizer que estamos usando versículos isolados, mas, é no contexto que nos referimos!)

Pois, o ensinamento de Jesus não é de financiar templos e pessoas, mas, Jesus nos ensinou a ajudar, a dar aos que necessitam e não receber... “Acautelai-vos e guardai-vos da avareza; porque a vida de qualquer não consiste na abundância do que possui” [Lucas 12].

Todos sabem que dos púlpitos de “instituições igreja”, são ensinados aos membros que estes devem dizimar aos cofres ministeriais (as igrejas templos), e que fazendo isto, Deus de forma “mágica” (dizem milagrosa), irá abrir as janelas para que haja a maior abastança, isto é público e notório, pois, esta pregação é baseada em Malaquias 3.10, um profeta levantado por Deus para trazer repreensão aos sacerdotes constituídos na Lei mosaica...

Mas, quando estes pregadores são confrontados com o ensinamento de Jesus que não se devem amontoar riquezas nesta terra, e sim que se façam boas obras, como ajudar aos pobres e necessitados [Mateus 19; 25; Marcos 14], e que utilizando esta forma de obrigar aos membros a dizimarem não condiz com a verdade bíblica... eles simplesmente se esquivam e dizem que pregam o dízimo baseados em Gênesis, que o dízimo foi antes da Lei mosaica, por isso que pregam sobre o ato de dizimar!

Ora, quando meditamos e permitimos que o Espírito Santo nos dê a graça com Seu ensinamento, nos trazendo entendimento da vontade de Deus, encontrar-se-á em Gênesis, o relato sobre o dízimo, que foi entregue por Abrão, por assim afirmar: “E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo”!

Abrão dizimou? Sim! Mas, uma única vez, nada mais, não há relatos bíblicos de que Abrão deu continuidade ao ato de dizimar, seu ato de dizimar foi ocorrido dos despojos de uma guerra ao rei Melquesideque... pronto! Acabou!

Abrão dizimou uma única vez, e seu neto Jacó prometeu dizimar e não são encontrados relatos bíblicos que ele assim procedeu [Gênesis 28];

Ora, dizimar não é ato de fé, é um ato de tentar barganhar com Deus, através de dinheiro, para receber um suposto milagre...

A fé consiste em crer em Deus e que, pelo beneplácito de Sua infinita Bondade, irá suprir nossas necessidades, mesmo antes de Lho pedirmos...

o ato de fé consiste em esperarmos em Deus, buscando em primeiro lugar o Seu reino e Sua justiça, pois quê, tudo quanto necessitamos o Senhor Deus nos concederá [Mateus 6]... ou não sabeis vós que “o justo viverá da fé” e não pelos dízimos!!


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses de Sua Igreja.
.

Nenhum comentário: